IMG-20160118-WA0052

Foto: FPF

Com a vitória sobre o Bahia no último domingo (17), os juniores do Flamengo chegaram as quartas-de-final da Copa São Paulo de Futebol Júnior, feito que não alcançavam desde a temporada 2011, na qual se sagraram campeões.

Já que citamos o título de 2011, porque não relembrar um pouco daquela boa campanha, não é? O Mengão tinha naquele elenco futuras eternas promessas. Jogadores como Mattheus, Thomás, Adryan, Negueba, Rafinha e Frauches se destacaram muito nessa temporada e coroaram a mesma com a conquista do torneio de forma invicta após passarem por bases fortes como as do Cruzeiro, São Paulo e Bahia.

Na temporada seguinte, o elenco ainda contava com alguns remanescentes do título, tais como os já citados Adryan e Thomás. Porém, a participação deles não adiantou muito e, com desapontantes três empates em três jogos (0x0 vs Aquidauanense; 1×1 vs União São João e 2×2 vs São Carlos) o Flamengo foi eliminado na fase de grupos com a sina do número 3 (3 jogos, 3 empates, 3 gols feitos, 3 sofridos e a triste 3ª colocação).

Em 2013 a queda também aconteceu na fase de grupos. Porém, sem a sina já descrita no parágrafo anterior. Com uma vitória (7×0 vs Santos-AP) e dois empates (0x0 vs Rondonópolis e 2×2 vs América), o Fla foi mais uma vez eliminado precocemente. O artilheiro do time nessa curta passagem foi o estreante Douglas Baggio (2 gols), que tinha se destacado no ano anterior com incríveis 72 gols em 57 jogos.

Na temporada 2014 o rubro-negro foi bem na fase de grupos, na qual se classificou em primeiro após vencer dois jogos (4×1 vs Santo André e 3×2 vs Noroeste) e empatar um (1×1 vs Aquidauanense). Na segunda fase o Mengão bateu o Mirassol 1×0 e chegou nas oitavas-de-final, quando perdeu por 2×1 do Corinthians, futuro finalista daquele ano.


Já em 2015 o time foi muito bem mesmo sendo novamente eliminado nas oitavas-de-final. Após vencer todos os jogos da fase de grupos (4×1 vs Sampaio Corrêa; 5×0 vs Vilhena e 1×0 vs Osasco) contando com uma defesa sólida e um ataque avassalador. Dessa defesa surgiu Jorge, que foi integrado ao elenco principal e supriu uma posição carente há algum tempo no Flamengo (a de lateral-esquerdo) e terminou o ano como uma das grandes revelações do futebol nacional. Na segunda fase o time mais uma vez marcou uma boa quantidade de gols e não sofreu nenhum (3×0 vs Taboão da Serra). Chegava mais uma vez nas oitavas com bons números tanto ofensivamente quanto defensivamente para enfrentar um Atlético Mineiro que também tinha números tão bons quanto. O jogo foi equilibrado e um pouco sonolento. Os times arriscavam mais nas jogadas difíceis e não tinham sucesso. O Fla teve ótimas chances principalmente com Thiago Santos mas não conseguia fazer o gol. Com tantos erros não teve outra alternativa a não ser ir para os pênaltis após 0x0 no placar normal. Cobranças longas até que Rocha parou no goleiro do time mineiro e Gustavo marcou o gol da classificação do Galo (9×10 na disputa de pênaltis). Porém, mesmo com a eliminação o time conseguiu sair do torneio invicto e com apenas um gol sofrido. Foi a última chance de Baggio, Dumas e outros de conquistarem o título da Copinha.

Agora em 2016 o time, após 5 anos, consegue novamente alcançar a fase de quartas-de-final. Enfrentará o São Paulo, adversário muito forte. São 5 vitórias e 1 empate até aqui e a esperança do tetra continua. O jogo contra o tricolor paulista será no próximo dia 20 (quarta-feira).


 Lucas Tinôco faz parte da equipe MRN Informação. Twitter: @LucasTinco