Bandeira acompanhado de Fahid e dirigentes da CBF. Reprodução CBF TV

Bandeira acompanhado de Fahid e dirigentes da CBF. Reprodução CBF TV

Na semana passada, a imprensa noticiou a visita de uma comitiva do clube francês CS Sedan Ardennes, da terceira divisão do futebol francês ao Ninho do Urubu. O motivo do encontro, de acordo com matéria assinada pelo jornalista Igor Siqueira, na coluna De Prima do diário esportivo Lance, foi a formatação de uma parceria que renderia até 30 milhões de reais, dinheiro este que seria investido no Centro de Treinamento George Helal.

E ainda, agora de acordo com o jornalista Anselmo Gois, do Globo, quem fez o meio-campo entre a diretoria do Fla e o Sedan Ardennes foi nada menos do que Pelé, fato este bastante curioso tendo em vista a pouca ligação do Atleta do Século com o Clube de Regatas do Flamengo.

O Sedan Ardennes é um clube de pouca expressão no futebol francêsFundado há quase um século como  I’Union Athlétique Sedan-Torcy, somente em 1956 chegou à primeira divisão. Em 1966, teve seu nome alterado para RC Paris-Sedan ao se fundir com outro pequeno francês, o RC-Paris. Em 1970, transformou-se no atual Club Sportiff Sedan Ardennes.

No Ninho, estavam o presidente do Sedan Ardennes, Marc Dubois, e o príncipe saudita Fahad Bin Faisal Al Saud, que comprou o clube em maio de 2015. O presidente Bandeira, o CEO Fred Luz, o vice-presidente de marketing, José Rodrigo Sabino e o diretor-executivo de futebol Rodrigo Caetano foram os anfitriões presentes.

 

Sedan em seu estádio diante de apaixonada torcida

Sedan em seu estádio diante de apaixonada torcida. Reprodução Twitter

 

A reportagem entrou em contato com dirigentes do Flamengo. Flávio Godinho disse que o encontro foi apenas uma visita cordial entre dirigentes. José Rodrigo Sabino, indagado sobre algum acordo comercial envolvendo a imagem dos dois clubes em alguma parceria ou até mesma uma possível compra de naming rights do CT, apenas respondeu dizendo que “Foi apenas uma aproximação muito embrionária”. Que tipo de aproximação? Insistimos. “Intercâmbio de atletas e experiências”, respondeu, mantendo o suspense e a discrição em torno do assunto.


Em relação aos valores envolvidos, o dirigente explicou que “existem detalhes que precisam amadurecer, como o aporte financeiro”. Isso foi tudo que pudemos conseguir. O presidente Bandeira foi procurado mas não conseguimos retorno.

As declarações de Sabino, ainda que tangenciais, de certa forma mostram que sim, o Flamengo negocia com o CS Sedan Ardennes algum tipo de parceria. E isso pode vir a ser muito interessante para o clube em alguma áreas.

Fazendo um exercício de imaginação em cima de pesquisas sobre o modelo de negócio firmado entre o clube francês e Fahad Bin Faisal Al Saud, podemos ter boas perspectivas em relação ao que — pelo menos — pode estar sendo discutido entre Sedan e Flamengo.

 

Clube francês quer melhorar sua estrutura de formação e metodologias. Reprodução Site Oficial.

Clube francês quer melhorar sua estrutura de formação e metodologias. Reprodução Site Oficial.

 

A cidade de Sedan, localizada no departamento de Ardenas, é uma região montanhosa, bastante turística e que se estende por Luxemburgo e Bélgica. Apesar de ser um rica em minérios, em Sedan floresce a indústria do turismo. Devido ao seu relevo propício à prática de esportes ao ar livre é destino de milhares de pessoas. O CS Sedan possui torcida e tenta se reerguer através de um plano ancorado no aumento da relevância econômica da própria cidade.

Em recente entrevista, Marc Dubois, ele mesmo um empresário do turismo, afirma que o clube será como um farol, a guiar negócios para a cidade. Parece que seu plano está indo bem. Depois de investir cerca de 2,5 milhões de euros de recursos próprios no clube, ofereceu um modelo de parceria para o príncipe Fahad, como uma ampliação de negócios da família real na cidade. Assim, o Sedan tem um plano de internacionalização da marca estruturado com o desejo de vários setores da economia de sua região. Atualmente disputa o Nacional, terceira divisão francesa, e a Coupe de France. Seus gestores apontam 2019, o ano de seu centenário, como meta para chegarem à Ligue 1. E isso passa pela melhoria da estrutura de formação de novos atletas.

 

 

Marc Dubois: “um centro de formação, um novo centro de treinamento e um complexo turístico surgirão para Montvillers.”

 

“A ideia é desenvolver Chateau Montvilliers, que abriga o centro de treinamento e um complexo médico de esportes em Montvilliers: uma clínica de esportes. Um produto sobre o qual vamos trabalhar, que será aberta ao público. Vamos co-financiar tudo isso com o príncipe. É nas raízes do clube. Este ano, já estamos trabalhando com um centro de treinamento no Senegal. Já temos dois jovens senegaleses muito promissores que vieram e já estão aos poucos sendo usados na equipe principal”, declarou Dubois.

Além do intercâmbio de atletas, via empréstimo ou até preferência de compra, clínicas e workshops para trocas de experiência entre profissionais da Comissão Técnica podem ser realizadas, tanto no Ninho quanto em Chateau Montvilliers. As categorias de Base dos dois clubes podem usfruir dos CTs no futuro, além de disputas de torneios e excursões com jogos e disputando torneios.

Outra questão envolvendo a parceria pode ser a veracidade dos valores especulados no aporte finaceiro. Esse dinheiro serviria para terminar toda a estrutura do CT — Base e Profissional — em um tempo menor do que o projetado (e prometido), a saber, até o final desse ano para o Módulo Profissional e até 2018 para o Módulo da Base. Em troca, o time francês teria porcentagens dos direitos ecônomicos de nossos jogadores recém-formados.

Em realação ao marketing, é de se esperar que a presença de Sabino envolva algum tipo de exposição da marca Flamengo. O príncipe Fahad tem muita influência em toda região que compreende países como a própria Arábia Saudita, além de Argélia, Marrocos e demais países do Golfo. Não é demais imaginar a abertura de algumas lojas em alguns desses centros de alta concentração de renda e paixão pelo futebol brasileiro.

 

 

Transmissão de um clipe que confirma contatos são desenvolvidos com o clube  no Brasil.

 

O Flamengo também pode conseguir trabalhar na viabilização de excursões com o time principal em época de pré-temporada ou amistosos pontuais em possíveis brechas no apertado calendário brasileiro. Outra boa ideia é convidar ídolos da hossa história para visitas, como embaixadores rubro-negros, ao Oriente Médio e na França, inclusive servindo como professores de futebol em clínicas e workshops. Zico, Adílio, Pet, entre outros, podem ser convidados a levar e elevar a marca Flamengo pelo mundo, principalmente o Oriente Médio, porta dourada de entrada do continente africano, rico em talentos.

 

 

 


@DidaZico