AP JOGO MITO

Foto: Gilvan de Souza / Flamengo

A torcida rubro-negra pôde finalmente soltar o grito de gol que estava preso na garganta. Após um mês, o Flamengo voltou a balançar as redes e  a vencer no Campeonato Brasileiro. Com uma atuação brilhante de Allan Patrick, o Mais Querido derrotou o Goiás por 4 a 1, deixando o adversário numa situação ainda mais complicada na competição. O próximo compromisso do Flamengo será o amistoso em comemoração aos 120 anos do clube, contra o Orlando City.

Com um silêncio assustador da torcida no Maracanã, o Flamengo começou o jogo partindo para cima do Goiás. Pelo lado, Gabriel levava vantagem sobre a zaga esmeraldina. A cada vez que tocava na bola, Allan e Pará eram hostilizados pela torcida. Precisando somar pontos para escapar da zona da degola, o Goiás não ficou esperando o Flamengo não. Toda vez que tinha a posse de bola, partia com uma  certa facilidade ao ataque.

O jogo era equilibrado até que aos 18′ Allan Patrick tabelou com Gabriel tirou dois jogadores da marcação e chutou rasteiro, no fundo da rede do goleiro Paulo Henrique. Um misto de manifestações se viu no Maraca. Alguns torcedores comemoram o gol, já outra parte da torcida preferiu continuar vaiando o jogador.  Aos 25′ Allan Patrick achou Emerson livre pela esquerda. O  atacante que teve uma avenida pela frente chutou em cima goleiro adversário, Gabriel pegou o rebote e finalizou, mas Felipe Macedo afastou para escanteio. Felipe Menezes o melhor jogador do Goiás conseguiu driblar meio time do Flamengo, porém acabou sendo desarmado por Jajá.

O Flamengo visivelmente diminuiu seu ritmo, o Goiás teve três boas chances em cobranças de faltas, todas foram desperdiçadas  por Fred. No último lance do primeiro tempo, Sheik fez mais uma falta  absolutamente desnecessária no meio-campo. Deixou o braço em Diogo Barbosa. Felipe Menezes cobrou rápido, a zaga do Flamengo parou, Erick invadiu a área a bateu na saída de Paulo Victor empatando o jogo. No intervalo do jogo, as torcidas organizadas que  apenas se manifestavam  para vaiar os jogadores, se juntaram e cantaram hinos de protesto ao time “Vergonha, Vergonha, Vergonha, Time sem vergonha” era o canto entoado pela torcida.

Foto: Gilvan de Souza / Flamengo

Foto: Gilvan de Souza / Flamengo

Na volta do intervalo Jajá foi substituído por Jonas. O time voltou do vestiário debaixo de forte protesto da torcida. E parece que a pressão deu certo. Na primeira subida ao ataque, Pará cruzou para a área e Allan Patrick marcou o seu segundo gol na partida. Bem mais ligado na etapa complementar o Mengão não deu espaços para o Goiás. Três minutos após o segundo gol, Jorge achou Kayke livre, o atacante finalizou na saída do goleiro Paulo Henrique fazendo o terceiro do Mais Querido. Com a vantagem no placar e o time bem mais a vontade em campo, a torcida voltou a cantar canções de apoio ao time.


O Goiás estava totalmente perdido em campo. As substituições feitas pelo técnico Danny Sergio não surtiram efeito. Pelo Flamengo, Gabriel deu lugar a Everton deixando o Flamengo bem mais  solto.  Melhor jogador em campo, Allan Patrick cobrou uma falta do lado direito da grande área. O cruzamento foi direto na cabeça de Kayke, que ampliou o marcador. Sem correr nenhum tipo de perigo na partida, Oswaldo de Oliveira colocou Canteros no lugar de A.Patrick. Depois do quarto gol, o Flamengo apenas administrou o jogo. A torcida voltou a cantar cânticos de protesto no final da partida.

FLAMENGO 4X1 GOIÁS
34ª rodada do Campeonato Brasileiro
Data: 08/11/2015
Estádio: Maracanã, RJ
Horário: 17h
Transmissão: Premiere FC
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira (SP/FIFA)
Assistente 1: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP/FIFA)
Assistente 2: Alex Ang Ribeiro (SP/CBF-2)

Flamengo: Paulo Victor, Pará, César Martins, Wallace, Jorge, Marcio Araújo, Jajá (Jonas), Allan Patrick (Canteros), Gabriel (Everton), Emerson Sheik e Kayke. Técnico Oswaldo de Oliveira

Goiás: Paulo Henrique, Clayton Sales, Fred, Felipe Camargo, Felipe Macedo, Diogo Barbosa, Rodrigo, David, Felipe Menezes, Bruno Henrique, Erick e Zé Love. Técnico: Danny Sergio

12. 634 pagantes 15.421 presentes 513.917,50 renda

Texto de Bruno Vasconcellos