Sem Jonas, suspenso por expulsão na última partida, Flamengo é completamente dominado no meio e sai derrotado do Maracanã novamente. Samir faz contra, Alan Patrick e Sheik estreiam bem

QUEBRA_PAG

Por: Hesley Menezes (Twitter: @_hesleymenezes)

César: 5 – Há quem diga que ele falhou nos dois gols. Há quem diga que ele não falhou em nenhum. Há quem diga que ele falhou somente no segundo gol. O fato é que faltou confiança para o jovem goleiro do Flamengo.

Samir: 3 – Fez gol contra, deu espaços, foi facilmente driblado pelos atacantes do Galo. Ainda se aventurou no ataque com chutes de fora da área. Mas com certeza foi uma tarde pra Samir esquecer.

Alan Patrick: 6 – Na estreia do meia com a camisa do Flamengo, Alan Patrick já teve que entrar como bombeiro. Alguém tinha que amenizar os danos causados pelo frágil meio campo rubro-negro. Deu consistência ao time e mais qualidade na saída de bola. Não foi um primor de performance, mas Alan mostrou que pode ser útil.

Marcelo Cirino: 2 – Quando não tá sumido do jogo, tá se escorando em adversário pra tentar cavar falta. Como a camisa do Flamengo tá pesando no paranaense, hein? Ele faz de tudo em campo, só não joga futebol.

Sheik: 7,5 – Voltou depois de 6 anos após sua primeira passagem pela gávea, e foi o melhor do time em campo. Com quase 37 anos, Emerson esbanjou bom preparo físico e jogou os 96 minutos de jogo. Partiu pra cima da marcação, foi agudo, finalizou… Mas seus parceiros de ataque não estavam em um bom dia, e Sheik jogou praticamente sozinho. Ele jogou tão sozinho que, devida as proporções, lembrou a seleção brasileira com Neymar. Seus companheiros não conseguem o acompanhar na leitura do jogo.

Cristóvão: 5 – Jogamos em casa, ok. Mas ainda estamos longe de ser um time bem treinado que nos permita jogar sem um volante de proteção e com 4 atacantes. Se não tínhamos Jonas e Cáceres, que entrasse com um meio mais fechado. Não importa se estamos jogando em casa quando o adversário que estamos enfrentando é um time que já joga junto há bastante tempo e é afinado nas suas jogadas. Os 5 minutos iniciais de pressão e sufoco em cima do Atlético iludiram. Não durou muito tempo pro Galo dominar o meio campo e criar boas chances de gol. As mexidas foram boas, mas não tiveram efeito. Nossas maiores chances foram em chutes de fora da área.

Notas dos outros jogadores:

Luiz Antônio: 5

Wallace: 3,5

Pará: 4

Canteros: 3

Márcio Araújo: 6

Everton: 4,5

Gabriel: 4,5

Eduardo Da Silva: 4,5

Paulinho: 4