atuaçoes

Paulo Victor: Trabalhou o jogo quase todo com os pés. Quando exigido, fez grande defesa. NOTA 6.

Rodinei: Ritmo alto do início ao fim da partida. Pela produção nula do adversário, jogou quase sempre no ataque. Mas sempre que preciso, estava lá atrás pra ajudar os zagueiros. No final, foi esperto e deixou o seu quando a Portuguesa não contava mais com seu goleiro. NOTA 8.

Wallace: O aplauso da torcida diz tudo. Sereno, fez tudo que um zagueiro de qualidade precisa fazer. Antecipações, roubadas de bola, protegeu seu lado em alguns contra ataques e se lançou à área adversária em lances de bola parada. NOTA 7.

Juan: Cirúrgico nos botes, apoiou bem o lado esquerdo do campo. Com lances de efeito demonstrou muita segurança e até se empolgou tentando bicicleta e voleio. De cabeça quase acerta o gol no primeiro tempo. NOTA 7,5.

Jorge: Finalmente uma ao nível de 2015. Jogar próximo ao Técnico Muricy Ramalho fez com que ele corresse dobrado. Boa partida do nosso lateral esquerdo. NOTA 7.


Márcio Araújo: Homem de confiança da frente de defesa Rubro-Negra. Joga dando o mínimo de chance ao erro, mas sempre inicia a transição com a segurança necessária a uma zona onde uma falha pode ser fatal. Hoje, talvez pela fragilidade do adversário, também se saiu muito bem tecnicamente. NOTA 7,5.

Willian Arão: Mostrou que realmente queria o Flamengo quando brigou na justiça pra deixar seu ex-time. Está na frente dos zagueiros, apoia os laterais, chega ao ataque com perigo e faz gol. Hoje, dois. NOTA 8,5.

Mancuello: Estreou razoavelmente bem. Decisivo na bola parada, cruzou a bola que resultou no gol de Guerrero. Mas em geral foi tímido e pode render mais. Qualidade tem pra isso. NOTA 6.

Marcelo Cirino: Justificando a aposta de toda comissão técnica. Infernizou a defesa Portuguesa com sua velocidade e habilidade. Participou diretamente de lances de gol e ajudou, quando necessário, a defesa, sempre pelo lado direito. NOTA 8.

Sheik: Partida regular. Se dedica sem a bola, mas pode render mais com ela. Quando joga pelo time é sempre melhor que o Emerson individualista. Mesmo assim irrita a defesa adversária e arruma umas faltas perigosas. Perdeu pênalti e depois converteu quando o goleiro havia sido expulso e um jogador de linha assumiu a posição. Quando jogou para o time, deu linda assistência para o primeiro gol de Arão. Precisa ser cobrado mais pra jogar coletivamente. NOTA 6,5. 

Guerrero: Guerrero: Mais uma boa partida do camisa 9 do Mengão. Saiu da área pra dificultar a marcação, ficou entre os zagueiros e, numa chance em bola parada, deixou o dele. Confiante é muito perigoso, mas precisa conter o ímpeto em relação a arbitragem. O cartão amarelo pode trazer consequências ruins mais a frente. NOTA 7,5

Gabriel: Entrou no lugar do exausto Cirino pra seguir dando velocidade pela direita e deu certo. Criou lances de perigo e demonstrou a disposição já conhecida. NOTA 6,5.

Vizeu: Mais um estreante, porém com mais importância que o o camisa 23. Era a primeira vez do atacante entre os profissionais. Se movimentou, pediu a bola, até teve uma chance de cabeça, mas não converteu. Sem nota.

Alan Patrick: Entrou no lugar do aplaudido Arão e não fez muita coisa. O pouco que se viu foi o mesmo que demonstrou em sua última partida. Sem nota.