Pela estreia da Copa da Brasil, o Flamengo foi a Sergipe enfrentar a fraca equipe do Confiança. Com um jogador a mais por quase 90 minutos, a equipe rubro-negra foi quase o jogo inteiro muito apática e não conseguiu marcar sequer um gol. Confira as notas de Confiança 1×0 Flamengo.

Notas

Paulo Victor: Não teve culpa no gol. O chute foi forte e de muito perto. NOTA 5,5

Rodinei: Tentou fazer jogadas pela direita, tanto indo à linha de fundo, como cortando pro meio. No primeiro tempo, conseguiu fazer boas jogadas com Arão e Cirino. Falhou ao não cortar a bola no cruzamento que deu o gol ao Confiança. NOTA 5,5

Wallace: Não teve trabalho nenhum o jogo inteiro. Mas, como de costume, conseguiu entregar a bola na defesa de novo. Em um jogo com um adversário melhor, essa perda da bola na defesa pode ser fatal. NOTA 5

Juan: Salvou o time logo aos 20 segundos de jogo cortando uma bola quase em cima da linha. Não teve muito trabalho na defesa. Teve boas chances de fazer o gol em cabeçadas. NOTA 6

Jorge: Não acertou cruzamentos, não acertou dribles, não acertou o único desarme que tinha que ter feito no jogo, permitindo que o camisa 10 adversário cruzasse a bola pra área no gol do time sergipano. Sem contar as inúmeras perdidas de bola no ataque. Vive péssima fase o jovem lateral-esquerdo do Mengão. NOTA 4,5

Cuéllar: Foi de longe o melhor jogador do Flamengo na partida. Armou o time de trás, deu a devida proteção à defesa, inverteu bem as jogadas. O colombiano dá uma dinâmica de jogo incrível. Onipresente no meio-campo, ele com a bola, da área central do campo, é capaz de deixar um companheiro na cara do gol. Foi como no passe pra Emerson Sheik ficar cara a cara com o goleiro. O camisa 11, é claro, perdeu o gol. Ele ainda deu outros ótimos lançamentos. NOTA 7

Willian Arão: Fez um bom primeiro tempo, criando muitas jogadas pela direita e até se infiltrando pelo meio. Mas caiu de produção, como o time todo na segunda etapa e praticamente não fez mais nada. NOTA 5,5

Ederson: A falta de ritmo de jogo ainda atrapalha o desempenho do nosso camisa 10. Pra piorar, ele ainda levou um knock down aos 10 minutos de jogo. Depois de voltar meio tonto, Ederson ainda conseguiu criar uma grande jogada, driblando o marcador e chutando colocado. O goleiro espalmou. Num bate-rebate dentro da área, ele quase abriu o placar. NOTA 5,5

Marcelo Cirino: Com o time do Confiança todo fechado, o camisa 7 do Fla pouco pôde usar do seu maior artifício, sua velocidade. Na melhor jogada que fez na partida, o atacante rubro-negro recebeu lançamento na linha de fundo, cortou o zagueiro e mandou de esquerda pro gol. Foi um dos poucos bons momentos do Flamengo no 2° tempo. O goleiro mandou pra escanteio. NOTA 5,5

Emerson Sheik: Mais um jogo típico do camisa 11. Rouba a bola dos próprios companheiros, mata ataques e perde um caminhão de gols. O que Emerson Sheik está fazendo em campo, não o credencia nem a ficar no banco de reservas. Mas o que acontece é completamente o contrário. Ele se arrasta em campo até o apito final em todos os jogos. NOTA 4

Guerrero: Muita reclamação com a arbitragem e pouquíssimo futebol. É justificável esse comportamento do peruano, tendo em vista o monte de porrada que ele leva durante o jogo. Acontece que ele acaba perdendo o foco do jogo. Contra o Confiança, perdeu um gol na cara do goleiro, que não pode perder. O camisa 9 em nada ajudou na construção de bons ataques. Se movimentou pouco e não fez o pivô em nenhum momento da partida. Ficou muito parado entre os zagueiros, dando pouco espaço pra outro companheiro se infiltrar na área. NOTA 4,5

Gabriel: Entrou no jogo na metade do segundo tempo e pouco tocou na bola. NOTA 5

Alan Patrick: Não fez o que se esperava dele. Talvez pela fraca movimentação do ataque, o meia-armador não conseguiu encontrar bons passes diante da muralha azul que o time adversário fez. NOTA 5

Felipe Vizeu: Entrou já no fim do jogo e teve na última bola do jogo, a chance de empatar a partida numa forte cabeçada. A bola passou perto, batendo na parte superior da rede pelo lado de fora. NOTA 5,5