Sheik e Cirino comandam ataque rubro-negro; Jorge estreia bem na lateral. Time desarma 29 vezes contra o Joinville. Contra o vasco, no último domingo, foram apenas 11.

QUEBRA_PAG

César: 5 – Pouco exigido, mas não passou segurança nos momentos que foi preciso. Errou algumas saídas e reposições de bola.

Ayrton: 6,5 – Entrou pra ser um jogador mais experiente na direita e fez valer sua rodagem. Evitou subidas ao ataque constantes e garantiu a proteção do seu lado. Deixou a desejar nas bolas paradas que teve chance.

Wallace: 7 – Teve que mudar de lado com a prematura saída de Samir, mas se manteve firme na liderança da zaga Rubro Negra. Mas faltou conversa e empenho como capitão.

Samir: (sem nota) – Saiu com 5 minutos de jogo lesionado.

Marcelo: 6 – Entrou no sufoco e cometeu alguns erros que podiam colocar o Flamengo em perigo, mas também foi firme em várias jogadas afastando a bola do Joinville.

Jorge: 7 – O garoto entrou numa fria e deu conta do recado. Fechou bem o seu setor e arriscou-se no ataque. Roubou bolas, desarmou, apoiou, fez ultrapassagem, finalizou, tentou dar assistência. E era apenas a estreia da promessa do Mengão.

Jonas: 7,5 – Mais uma grande atuação do camisa 18 do Flamengo. Não são roubadas de bola comuns de jogo. As roubadas vêm com um recado: ”Aqui tu não passa”. Impressionante o poder de desarme de Jonas. Um verdadeiro monstro.

Canteros: 6,5 – Melhorou seu desempenho junto com todo o time. Desarmou e marcou bem como volante que é, coisa que não fazia. E distribuiu bem na saída de jogo, uma de suas principais funções.

Gabriel: 6 – Não jogou bem os 90 minutos de jogo, mas foi decisivo dando o passe para o gol de Emerson Sheik.

Everton: 6 – Talvez o que menos se destacou no ataque rubro-negro. Começou o jogo muito bem, sendo acionado constantemente pela esquerda, dando caneta e partindo pra cima dos adversários. Depois sumiu um pouco do jogo, mas continuou sendo importante nas saídas de contra ataque.

Marcelo Cirino: 8 – Finalmente estreou pelo campeonato brasileiro. Não só jogou bem, como foi o melhor do jogo. Correu sobre o campo inteiro praticamente. Muita disposição do camisa 7 do Flamengo. Incisivo no ataque, e pressionando a defesa durante o jogo, foi assim que conseguiu criar a jogada do gol do Flamengo. Na sua principal característica, na velocidade, ganhou a bola pelo alto do zagueiro do Joinville e foi até a linha de fundo pra tocar pra Emerson chegar chutando. Não deu certo ali, mas a jogada continuou, e o placar saiu do 0. Depois do gol, foi um assistente de lateral perfeito. Ajudou muito na marcação pelo seu lado do campo.


Emerson Sheik: 8 – Decisivo. Era só o que tava faltando pra Emerson Sheik desde sua chegada ao Flamengo. Único destaque positivo nas últimas duas derrotas do time, dessa vez conseguiu mandar a bola pra dentro pra decretar a 3° vitória do Flamengo no campeonato.

Paulinho: (sem nota) – Entrou já no fim.

Márcio Araújo: (sem nota) – Entrou com poucos minutos de jogo e só ajudou o time na marcação. Não dá pra ser avaliado.

Cristóvão Borges: 6 – Armou o time pra frente. Usou escalação parecida contra o Atlético Mineiro no Maracanã e saiu derrotado. Mas valeu a aposta dessa vez e, contra um time inferior, fez seus atacantes pressionarem a saída de bola na defesa do time adversário. Com muita disposição dos seus jogadores, que atacavam, mas que também ajudavam na recomposição, conseguiu mais uma vitória no campeonato. Nota 10 no quesito Jorge: escalou a grande promessa da base rubro-negra em um jogo longe do Rio de Janeiro, contra um time também pressionado, e o resultado é extremamente positivo: o moleque jogou muito bem. Imagine você, se o Jorge estivesse em campo no caos de Cuiabá contra o Vasco? É um garoto, e precisa ser bem trabalhado. Tem que ir entrando aos poucos. E o Cristóvão percebeu isso bem.

 ESCOLHIDO COMO O MELHOR DA PARTIDA PELA EQUIPE MUNDO RUBRO NEGRO

20150701231247_122