O Flamengo já não deve nada a Ronaldinho. A última parcela, de R$ 1,2 milhão, do acordo fechado em fevereiro do ano passado foi paga no início deste ano, segundo o balanço trimestral divulgado hoje.

No total, o Flamengo pagou R$ 17 milhões a Ronaldinho com fundos originados do Ato Trabalhista — que penhora 15% das receitas do clube. A dívida com o jogador era um dos últimos entraves para o Flamengo renegociar as condições de permanência no ato. Recentemente, porém, o vice-presidente de Finanças disse que, neste momento, ainda é vantajoso para o clube permanecer no ato, para evitar penhoras não programadas para saldar eventuais dívidas como a cobrada pelo técnico Dorival Júnior.

No fim do ano passado, o clube já tinha saldado a dívida com outro ex-melhor do mundo que vestiu a camisa rubro-negra, Romário.

Ronaldinho chegou a cobrar R$ 55 milhões do Flamengo na Justiça, somando dívidas trabalhistas e danos morais pela maneira como a então diretoria lidou com sua demissão — o vice-presidente jurídico da época, Raphael de Piro, chegou a anunciar que o clube tinha em sua posse um exame que revelava que Ronaldinho chegou alcoolizado a um treino, sendo que tal exame nunca foi feito.