Que estreia!

Após duas derrotas seguidas o Flamengo enfrentou o Cruzeiro no Mineirão pela 8ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Rubro Negro conseguiu mais do que só uma vitória, de cara quebrou um tabu que durava 15 anos.

Primeiro tempo sem sustos

O time mineiro passou boa parte do tempo com a posse de bola. Porém sem assustar em nenhum momento. Com pouca criatividade, o adversário se limitava em apenas levantar bolas na aérea e apelar para os escanteios, testando de fato a estreante dupla de zaga. Rafael Vaz e Rever foram impecáveis e ganharam todas pelo alto.

Como o time celeste foi armado com uma zaga adiantada, a tática do Zé Ricardo de colocar Marcelo Cirino como ponta deu resultado em bons contra ataques que assustou o time adversário. No primeiro escanteio a favor do Flamengo, aconteceu uma prévia do futuro gol: escanteio bem cobrado no segundo pau e Rever cabeceou ao lado da trave defendido pelo Fabio.

Na segunda parte do primeiro tempo, o domínio foi do Flamengo, assustando nos contra-ataques. Em subida de Everton, o ponta lançou para virada de Felipe Vizeu. O chute saiu desequilibrado e a bola foi quicando sem jeito, assustando a equipe visitante. Continuando com a pressão na parte ofensiva, Felipe Vizeu recebeu a bola do goleiro Fabio e, pressionado pelos zagueiros celestes, finalizou para uma defesa segura do Fabio.

Nos momentos finais do primeiro tempo, a jogada repetida de escanteio no segundo pau dessa vez não teve jeito, aos 43 minutos do primeiro tempo, cabeçada como manda o manual para baixo e quicando para o fundo da rede, sem defesa para o experiente goleiro Fábio.



 

Defesa com cara nova

No segundo tempo, o time adversário continuou sem criatividade. Apelando para jogadas aéreas, Rever e Rafael Vaz ganharam todas pelo alto. Sem efetividade ofensiva, o técnico Paulo Bento colocou o experiente William no ataque celeste. Porém, sem que a bola chegasse, não houve nenhuma chance clara de gol. Do lado flamenguista, o treinador Zé Ricardo melhorou a marcação colocando Cuellar no lugar do Alan Patrick e liberando William Arão para criar jogadas no contra-ataque. Como o Cruzeiro insistia muito em jogadas laterais, para levantar bolas na área rubro-negra, Zé Ricardo decidiu inovar e colocou o lateral Pará no lugar de Felipe Vizeu, para ajudar Rodinei na marcação.

Com apenas um descuido de Rafael Vaz, que perdeu a bola dentro da área , no bate-rebate Muralha caiu e defendeu bem a única chance de perigo do ataque adversário.

Sem muitos sustos, com o apoio dos volantes marcando firme pelo meio e nas jogadas aéreas, a dupla estreante na zaga deu conta do recado. O Flamengo venceu como deve em momento de crise. 1×0 é goleada, ainda mais sobre um adversário que não ganhava há 15 anos fora de casa.