O clima no Ninho do Urubu não anda muito amigável. Após o vice-campeonato da Copa do Brasil e a derrota para a Ponte Preta, na última segunda-feira (2), paira sob o clube uma pressão por bons resultados e vitórias. Retomando os trabalhos na manhã desta quarta-feira (4), o treino fechado para a imprensa foi seguido da coletiva de Diego Alves, goleiro titular do Flamengo, que é sempre bastante incisivo em suas entrevistas.

Com um calendário apertado e uma média de 9 jogos a cada 30 dias, o arqueiro comentou sobre os treinos e essa parada de nove dias devido à data FIFA.

“O trabalho segue intenso, temos agora uns dias para poder trabalhar, com o período de jogo não temos muito tempo para treinar. Esses dias são bons para o time, para poder concentrar as forças e se preparar para o próximo jogo”, afirmou. “Se não tivemos tempo para descansar, o motivo é ter chegado à final da Copa do Brasil, tivemos Sul-Americana. Se perguntar para mim eu prefiro dessa maneira, jogando, estar conseguindo chegar nas competições, estar participando de tudo. Mas também é importante esse período de treinamento, todo jogador tem que pensar em melhorar dia a dia, esse tempo é bom para poder se concentrar no que tem que ser feito de melhor.”

Desde que chegou ao Flamengo, Diego Alves nunca escondeu seu desejo de voltar à seleção canarinha e representar o Brasil na Copa do Mundo da Rússia, entrando neste assunto, o goleiro não se esquivou e respondeu:

“Apesar de ser um objetivo estar no mundial, o dia a dia tem que ser trabalhado pensando no Flamengo em primeiro lugar. Tite tem várias opções, acredito que ele tem esse tempo para fazer suas escolhas, os jogadores que não estão hoje têm de estar preparados. O trabalho tem que ser feito para melhorar, estar bem, estar preparado para quando tiver oportunidade de ser convocado corresponder à altura. Espero seguir trabalhando, crescendo e quem sabe voltar à seleção.”

Diego Alves ainda comentou sobre a baixa do seu xará e companheiro, Diego Ribas, que foi diagnosticado com uma lesão na posterior da coxa, assim que se apresentou à seleção, na terça-feira (3), e pode desfalcar o Mais Querido no clássico que ocorrerá dia 12, no Maracanã, contra o Fluminense.

“Diego é um jogador super importante, dentro e fora de campo. É um exemplo, leva a responsabilidade. Com certeza vai ser uma falta importante para o time. Clássico é diferente, não tem isso de um time estar embaixo, outro estar em cima. O próprio Fluminense conseguiu uma classificação importante lá no Equador. Quando muda a competição, muda o ânimo, e pode acontecer qualquer coisa. Devemos estar preparados para as duas situações (Brasileiro e Sul-Americana), o trabalho vai ser voltado para isso. O objetivo prioritário é chegar ao G4 e conquistar nossa vaga.”

Fotografia: Gilvan de Souza

Diego Alves no treino desta quarta-feira (04)

Reinaldo Rueda, técnico colombiano da equipe rubro-negra, vem sendo questionado por parte da imprensa por suas escolhas e decisões durante os jogos. Com um aproveitamento de 53% (são 13 jogos, sendo: cinco vitórias, seis empates e duas derrotas), o rendimento é abaixo do seu antecessor, Zé Ricardo.

“Vocês (jornalistas) são especialistas, fazem as críticas, positivas e negativas. Rueda chegou há pouco tempo, está começando um trabalho. Sabemos que aqui no Flamengo uma coisa pequena se transforma em um furacão. Não é o caso de fazer esse tipo de comparação no momento. Rueda trabalha todos os dias para melhorar, nós jogadores também. Estamos doídos com a situação do time, não é a que a gente quer. É um momento de turbulência, mas vamos voltar a ter essa confiança.”

Ainda sobre o professor Rueda, Diego elogiou o método de trabalho. Disse que o professor tem um método que considera importante, de diálogo.

“É um treinador que demonstra muita tranquilidade no dia a dia, tem uma forma de trabalhar, de dialogar, que eu acho importante. O trabalho vem sendo bem feito, focado na melhora do time. O futebol é resultado, temos que ajustar o que tem que ser corrigido, para conseguir a vitória e ganhar confiança para os próximos jogos”.

“Faz dois meses que o Rueda chegou, tem uma fase de adaptação. Tivemos a sorte de ter jogadores que falam a mesma língua, ele mesmo já consegue se expressar bem com algumas palavras em português. Nós vemos que o pensamento dele é de tentar estar perto do jogador, dar confiança. A forma de trabalhar é clara e direta. O trabalho vem sendo realizado, focado em melhorar a cada jogo. No nosso dia a dia o trabalho é direcionado para melhorar. Ele gosta de dialogar e isso é importante para a equipe.”

Ainda questionado sobre o desempenho do ataque, que deixa a desejar em alguns momentos, Diego foi enfático.

“Temos que melhorar tanto na parte defensiva, como na parte ofensiva. Em todos os pontos vamos fazer o trabalho para melhorar. Sabemos dos erros que estamos cometendo. Temos que manter a regularidade pro time ganhar confiança”.

O Mais Querido segue sua preparação para o próximo confronto, o clássico contra o Fluminense, na próxima quinta-feira (12), no Maracanã, às 17h. Válido pela 27ª rodada do Brasileirão, os ingressos já podem ser adquiridos através do site Nação Rubro Negra, com valores a partir de R$ 20,00, para membros do programa Sócio Torcedor.