(Foto: Bruno Lorenzo / LNB)

(Foto: Bruno Lorenzo / LNB)

No último sábado (20), o Flamengo tratou de deixar para trás a derrota para o Basquete Cearense e passou com tudo pelo Vitória no Tijuca Tênis Clube. O resultado trouxe não só a liderança do NBB 8 de volta, mas também confiança para seguir na fase semifinal da Liga das Américas, que acontece nos próximos dias 27, 28 e 29. Após a partida, Olivinha, dono de 16 pontos e 11 rebotes, falou com o Mundo Rubro Negro.

O resultado negativo da última rodada fez com que o time fosse para esse duelo com outra postura. Diferente dos outros jogos, o FlaBasquete foi muito eficiente no ataque e conseguiu marcar 101 pontos. “A gente sabe que o jogo contra o Basquete Cearense foi atípico. Uma partida onde a gente não teve aproveitamento nos arremessos, tivemos uma boa defesa, mas nosso ataque não fluiu”, comentou Olivinha.

“Viemos pros dois últimos treinamentos focando no ataque e deu bastante certo. Hoje foi completamente diferente. Nossa equipe conseguiu aproveitar as chances que teve, fazer uma alta pontuação. Quando isso acontece é difícil a gente perder”, adicionou o veterano.

A vitória do Orgulho da Nação também foi importante para que o time pudesse reassumir a liderança, perdida na última rodada para o Bauru. O ala-pivô destacou o peso disso para a disputa da LDA: “É super importante, sem dúvidas. Com essa vitória a gente vai para a Liga das Américas com mais confiança, sabendo do potencial da nossa equipe. A gente sabe que vai ter só pedreira lá, então vamos bastante focados para tentar buscar a classificação”.

(Foto: Bruno Lorenzo / LNB)

(Foto: Bruno Lorenzo / LNB)

Ainda sobre o torneio continental, ele adicionou que o grupo precisa estar focado para não ter problemas e ainda falou sobre o peso de ter o Brasília como adversário no Grupo F. “A gente sabe que é um campeonato de tiro curto, não podemos dar mole. Temos que ficar focados nos três jogos. Essa fase é mais difícil que a primeira, então se a gente perder o foco, sabemos que pode custar a classificação”, disse. “Acho positivo ter um time brasileiro porque a gente já sabe todas as características da equipe, sabemos como eles jogam. Acredito que a gente já estará preparado pra esse jogo e para os outros também”, completou o camisa 16.