O MundoRubroNegro.com presenteia seus leitores com a série de Marcel Pereira, sobre a ascensão e queda do Flamengo na América do Sul. Torcedor apaixonado, o autor também é um ativista defensor do Manto Sagrado e da história do Mais Querido.



Carioca de 1977, é economista pós-graduado em finanças. Seu interesse por outras áreas do conhecimento humano, tais como sociologia, arqueologia e antropologia, é a base de seu livro “A Nação”. A obra explica a popularidade do Flamengo de forma clara e objetiva. Com base em uma pesquisa profunda e criteriosa, revisita o Rio de Janeiro desde o início do século 20, buscando as raízes mais autênticas da nossa paixão.

A Nação (Maquinária Editora). Clique na imagem para saber mais.

A Nação (Maquinária Editora). Clique na imagem para saber mais.

Marcel Pereira escreve rotineiramente no blog livroanacao.blogspot.com.br, onde originalmente publicou esta trilogia: o primeiro artigo é dedicado às conquistas dos títulos que levaram o clube da Gávea a ser tão popular no continente quanto já era no Brasil. A derrocada, que começa a partir do início do século 21, é contada no segundo texto. O terceiro tomo é um apanhado estatístico sobre a participação brasileira na Libertadores, dando uma percepção mais exata do tamanho do Flamengo para nossos hermanos na atualidade.

No rodapé encontram-se os links para os outros textos que completam a saga. Confira agora a segunda parte.


 
 

Histórico da participação brasileira na Libertadores

Já visto que o Flamengo ganhou respeito na América do Sul no período de 1981 a 2001, assim como, por suas participações nos torneios continentais, o Flamengo perdeu respeito na América do Sul no período de 2002 a 2016. A mensagem é clara: não basta mais só chegar à Libertadores, já era hora de que o Flamengo consiga efetivamente ter condições de voltar a ser campeão continental!

Ainda assim, tendo isto como pano de fundo, vale uma olhada no desempenho relativo dentro do Brasil, e um bom termômetro para avaliar a competitividade histórica frente aos rivais nacionais, é abrir década a década a quantidade de vezes que os clubes conseguiram participar da Libertadores.

A Taça Libertadores da América, como inicialmente era chamada antes de recentemente ser transformada em Copa Libertadores, teve sua primeira edição em 1960. A quantidade de brasileiros por edição foi aumentando, assim como o torneio foi crescendo de algo mais restritivo a algo mais participativo.

Nos anos 1960, o reinado era do Santos, de Pelé, que disputou quatro vezes a competição. O Palmeiras e o Bahia a disputaram duas vezes, enquanto Botafogo, Cruzeiro e Náutico participaram uma vez cada um. Portanto, muitos grandes do futebol brasileiros não conheceram, antes de 1970, qual era o sabor de jogar o torneio. O Santos foi duas vezes campeão, em 1962 e 1963.

Brasileiros na Libertadores 1960s

Nos Anos 1970 o leque de participações brasileiras se ampliou. Quem reinou no período no cenário nacional em termos de participações foi o Palmeiras, que a disputou quatro vezes. O Cruzeiro e o São Paulo participaram três, Internacional e Atlético Mineiro duas vezes cada um, enquanto Botafogo, Fluminense, Vasco, Corinthians e Guarani tiveram uma participação. Só um clube brasileiro, no entanto, conseguiu um título nesta década, o Cruzeiro, em 1976.

Brasileiros na Libertadores 1970s

O reinado nos Anos 1980 foi do Flamengo, de Zico, que participou quatro vezes da Libertadores. O Grêmio a disputou três vezes, enquanto São Paulo, Internacional, Vasco e Guarani tiveram duas participações, e Santos, Fluminense, Atlético Mineiro, Bahia, Coritiba, Bahia, Bangu e Sport Recife jogaram um ano cada um. Os títulos brasileiros continuavam escassos, tendo o Flamengo sido campeão em 1981 e o Grêmio em 1983.

Brasileiros na Libertadores 1980s

Nos Anos 1990 quem disputou mais Libertadores entre os brasileiros foi o Grêmio, com cinco participações, seguido por São Paulo, Vasco, Palmeiras, Cruzeiro e Corinthians, com três vezes cada um, Flamengo duas vezes, e Internacional, Botafogo e Criciúma uma vez cada. Interessante que o São Paulo jogou três Libertadores nesta década e foi à final nas três vezes. Os títulos brasileiros passaram a ser mais frequentes. O São Paulo foi campeão em 1992 e 1993, o Grêmio em 1995, o Cruzeiro em 1997, o Vasco em 1998 e o Palmeiras em 1999.

Brasileiros na Libertadores 1990s

Nos Anos 2000 quem reinou em participações foi o São Paulo, que chegou à Libertadores seis vezes. Palmeiras e Santos disputaram a competição cinco vezes, Grêmio e Cruzeiro quatro, Corinthians, Flamengo, Atlético Paranaense e São Caetano três vezes, o Internacional duas vezes, e com uma participação, vários clubes: Vasco, Fluminense, Atlético Mineiro, Coritiba, Sport Recife, Goiás, Paysandu, Juventude, Santo André, Paulista de Jundiaí e Paraná Clube. Os títulos brasileiros vieram com o São Paulo em 2005 e com o Internacional em 2006.

Brasileiros na Libertadores 2000s

Nos Anos 2010, quem vem dominando no quesito participações é o Corinthians, com seis disputas até 2017. Grêmio e Atlético Mineiro a jogaram cinco vezes, São Paulo, Cruzeiro, Internacional e Flamengo quatro, Palmeiras, Santos e Fluminense três, Botafogo e Atlético Paranaense duas vezes, e Vasco e Chapecoense uma vez. Os títulos brasileiros voltaram a ser mais frequentes. Os campeões foram o Internacional em 2010, o Santos em 2011, o Corinthians em 2012 e o Atlético Mineiro em 2013.

Brasileiros na Libertadores 2010s

O clube de brasileiros com mais de dez participações na Libertadores se restringe a oito membros, enquanto ninguém atingiu vinte disputas ainda. Uma realidade em termos de competitividade muito diferente à dos demais países da América do Sul. Os recordistas de participação até 2017 são: Peñarol (Uruguai) e Nacional (Uruguai) com 44 vezes cada um, Olimpia (Paraguai) com 39, Cerro Porteño (Paraguai) com 38, Sporting Cristal (Peru) com 33, Colo Colo (Chile) com 32, Bolivar (Bolívia) com 31, Universitario (Peru) com 29, Emelec (Equador) com 26 e Universidad Católica (Chile) com 25.

O São Paulo disputou a Libertadores 18 vezes, Grêmio e Palmeiras disputaram 17 vezes, o Cruzeiro a jogou 15 vezes, Santos, Corinthians e Flamengo 13 vezes cada um, o Internacional 11 vezes, seguido por Atlético Mineiro, com 9 participações, e Vasco, com 8. Em títulos brasileiros, foram dois nos Anos 1960, apenas um nos Anos 1970, outros dois nos Anos 1980, o recorde de seis nos Anos 1990, voltando a haver apenas dois nos Anos 2000. Até agora, nos Anos 2010 foram quatro títulos, o segundo melhor desempenho na comparação entre décadas.

Brasileiros na Libertadores Total

Tá na hora do Flamengo ser Campeão da Libertadores outra vez!

 
Marcel Pereira

 

Flamengo ganhando respeito na América do Sul: 1981 – 2001

Flamengo perdendo respeito na América do Sul: 2002 – 2016

 
Deixe seu comentário!


Este texto faz parte da plataforma de opinião MRN Blogs, portanto o conteúdo acima é de responsabilidade expressa de seu autor, assim como o uso de fontes e imagens de terceiros. O Mundo Rubro Negro respeita todas as opiniões contrárias. Nossa ideia é sempre promover o fórum sadio de ideias. Email: [email protected].

Vire Apoiador do MRN: entenda melhor clicando nesse nesse link: bit.ly/ApoiadorMRN

Outras formas de ajudar este projeto:
– Nosso site faz parte do plano de afiliados do Nação, o programa de sócio-torcedor do Flamengo. Se você clicar em bit.ly/STdoMRN e aderir ao programa, ou até mesmo renovar seu atual plano, o Mundo Rubro Negro ganha 50% da sua primeira mensalidade.

Seja um #ApoiadorMRN! Ajude contribuindo com R$ 5, R$ 10 ou R$ 20 mensais e participe do nosso grupo exclusivo de WhatsApp e muito mais. Esta é a forma que nós temos de manter e planejar o nosso projeto como um todo. Se você possui um negócio ou serviço que precisa ser divulgado, temos planos de apoio a partir de R$ 50 mensais com publicidade no nosso site e redes sociais. Clique aqui e vire um #ApoiadorMRN: bit.ly/ApoiadorMRN
Participe da campanha especial de arrecadação para viabilizar a produção e edição de conteúdo no canal do MRN no YouTube. Doe qualquer quantia de forma rápida e segura!