“Até hoje em todo o mundo não há um jogo que chegue aos pés do Fla-Flu. Que é cada vez mais empolgante. E cada jogo entre o Fluminense e o Flamengo parece ser o maior do século e será assim eternamente”. (Nelson Rodrigues) 

“O Fla-Flu surgiu 40 minutos antes do nada”. (Mário Filho)

Como se imaginava, Flamengo e Fluminense protagonizaram um grande clássico de futebol. Com objetivos traçados, Flamengo na briga pelo título e Flu buscando uma vaga na Libertadores, os dois times fizeram jus às frases dos torcedores mais ilustres de cada clube. O rubro-negro Mário Filho e o tricolor Nelson Rodrigues, imortalizaram o clássico carioca, considerado o mais charmoso do país.

Em jogo válido pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Flamengo venceu o Fluminense por 2 a 1 no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda e encostou ainda mais no líder Palmeiras. William Matheus, contra e Fernandinho marcaram para o Fla, enquanto Marcos Junior descontou para o Fluminense. O clássico, porém, ficou marcado pela confusa arbitragem de Sandro Meira Ricci, árbitro que representou o Brasil na última Copa do Mundo.

O  JOGO

Com apenas 1 minuto de jogo, Richarlison quase abriu o placar para o Fluminense. O atacante pegou a sobra de bola na entrada da área, cortou para dentro e chutou rasteiro. A bola passou à esquerda de Alex Muralha levando muito perigo ao gol do Mais Querido. A resposta do Rubro-Negro veio no minuto seguinte. Arão lançou Diego que tocou para Damião, porém, Gum bloqueou o centroavante do Fla, salvando o Tricolor.


Após a pressão inicial dos times, o Flamengo assumiu o comando da partida e não demorou para abrir o marcador. Aos 11, Diego cobrou falta, Leandro Damião tentou cabecear, mas a bola desviou no lateral esquerdo do Flu, William Matheus e entrou, mas Sandro Meira Ricci confirmou o gol para Leandro Damião. O lance gerou polêmica. Os jogadores tricolores alegaram falta de Réver no goleiro Júlio César. O zagueiro, por sua vez, disse ter sido empurrado por Pierre e por isso esbarrou no arqueiro tricolor.

O Fluminense não se apavorou com o gol. Levir Culpi adiantou a marcação do seu time que passou a ter o domínio da posse de bola. Recuado, o Flamengo tentava encaixar o contra-ataque, que acabou não acontecendo. O Mais Querido só voltou a oferecer perigo quando Fernandinho, que estava jogando pela direita, trocou de lado com Alan Patrick, que não estava rendendo no jogo.

Emoção e Confusão

Flamengo e Fluminense retornaram para a segunda etapa sem alterações. Não foi preciso muito tempo para o panorama da partida mudar. Logo no primeiro minuto, Marcos Junior empatou a partida colocando mais emoção no clássico. O Tricolor ameaçava uma pressão e era melhor quando num erro bisonho de Wellignton Silva, viu o Flamengo chegar ao segundo gol. Pará cruzou da esquerda, o lateral do Fluminense tentou cortar, mas acabou furando. Fernandinho que estava próximo de Wellington só teve o trabalho de desviar a bola para a rede.

O Fluminense ficou rondando a área rubro-negra, mas não encontrava espaço para finalizar. Apostando no contra-ataque, Zé Ricardo substituiu primeiramente Alan Patrick por Everton e logo depois tirou Fernandinho para a entrada de Marcelo Cirino. Levir Culpi apostou na experiência de Magno Alves e Marquinho.

O time das Laranjeiras ganhava espaço e gostava cada vez mais do jogo. Se o goleiro Júlio César não inspirava confiança, Gustavo Scarpa era o maestro e empurrava o time para o campo de ataque. Cansado, Leandro Damião deixou o campo e Emerson Sheik entrou em seu lugar.

O Fluminense que estava cada vez mais próximo da área, conseguiu uma falta aos 39 minutos. Gustavo Scarpa cobrou e Henrique cabeceou estufando a rede rubro-negra. No mesmo instante o árbitro assistente Emerson Augusto de Carvalho, assinalou a irregularidade. Haviam três jogadores do Flu em posição de impedimento, incluindo Henrique. Estranhamente não respeitando a marcação de seu assistente, em um lance que era típico para atuação do mesmo, Ricci confirmou o gol tricolor, o que gerou revolta nos jogadores rubro-negros.

Após muita reclamação, com direito a invasão das comissões técnicas do times no campo de jogo, Sandro Meira Ricci, escoltado pela Polícia Militar, voltou a conversar com sua equipe e anulou o tento tricolor. Com os ânimos exaltados, os jogadores voltaram para o jogo. Ambos os times tiveram chance de marcar, o Flamengo com Jorge e o Fluminense com Wellington Silva que parou três vezes na mesma jogada em Alex Muralha.

Debaixo de forte tensão, Sandro Meira Ricci encerrou a partida e a torcida rubro-negra comemorou mais uma vitória no Brasileirão, a 18ª. A diferença entre Flamengo e Palmeiras que era de três pontos no início da rodada, voltou a ser mínima após o empate do Alviverde com o Cruzeiro. No próximo domingo (16), o Flamengo enfrenta o desesperado Internacional no Beira Rio, às 17h (Brasília), enquanto o clube paulista visita o Figueirense no mesmo dia e horário.

FICHA TÉCNICA

Fluminense 1×2 Flamengo

Campeonato Brasileiro – 30ª rodada

Data: 13/10/2016

Horário: 21h

Local: Estádio Raulino de Oliveira – Volta Redonda- RJ

Arbitragem: Sandro Meira Ricci (Fifa-SC)

Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (SP-Fifa) e Marcelo Carvalho Van Gasse (SP-Fifa).

Público/Renda: 9.008 pagantes (11.166 presentes); Renda: R$ 363.350,00

Cartões amarelos: Alan Patrick, Jorge e Marcelo Cirino (FLA); W.Silva e Gustavo Scarpa (FLU)

FLAMENGO:  Alex Muralha; Pará, Rafael Vaz, Rever e Jorge; Willian Arão e Márcio Araújo; Alan Patrick (Everton), Diego e Fernandinho (Marcelo Cirino); Leandro Damião (Emerson Sheik). Técnico: Zé Ricardo

FLUMINENSE: Júlio César, W. Silva, Henrique, Gum, William Matheus, Pierre (Marquinho), Cícero, G. Scarpa, M Júnior (Magno Alves), Richarlison (Henrique Dourado0 e Wellignton  Técnico: Levir Culpi

 

Crédito imagem destacada: Gilvan de Souza