A estreia do meia Diego Ribas pelo Flamengo não poderia ser melhor. Depois de pouco mais de um mês após sua chegada, o camisa 35 entrou em campo pela primeira vez com o Manto Sagrado neste domingo em Brasília e foi um dos destaques da vitória rubro-negra por 2 a 1 sobre o Grêmio.

Além do gol de cabeça, Diego se movimentou bastante, mostrando qualidade no passe e fazendo as jogadas fluírem com maior facilidade no meio campo, algo que há muito tempo não se observava no setor de criação rubro-negro.

Diego só participaria de 60 minutos da partida contra o Grêmio. Foi esse o tempo que a comissão técnica do Fla apontou como ideal para o jogador que na última temporada, pelo Fenerbahçe, fez 43 jogos, sendo 29 como titular e em apenas 11 atuou os 90 minutos. O jogador, porém, permaneceu durante 80 minutos em campo e foi aclamado pela torcida no Mané Garrincha quando saiu para a entrada de Mancuello.

Ao final da partida o jogador agradeceu o apoio que vem recebendo da Nação e comentou sobre o seu rendimento na estreia.

“Com o pé direito, graças ao time, ao apoio que tenho recebido. Superou um pouco as expectativas, esperava jogar no máximo 60 minutos. Desde que cheguei, disse que vivia um sonho, e vou viver intensamente. Tenho muito a fazer, mas começar dessa forma ajuda muito”, declarou o camisa 35.

Diego exaltou a postura da equipe rubro-negra que venceu um confronto direto na busca pelo título brasileiro. A vitória fez o Flamengo ultrapassar o Grêmio na tabela de classificação, fazendo o Mais Querido voltar ao G4.

“Temos que continuar trabalhando com muita humildade, temos muito que evoluir e seguir nesse caminho que sem dúvida no final da temporada teremos um balanço muito positivo. Sabíamos do confronto direto e da importância do jogo. A equipe do Grêmio é bem montada, mas time que sonha alto tem que ter esse tipo de duelo e foi o que nós fizemos, jogamos como time grande, com personalidade, dominamos grande parte do jogo e agora é seguir assim para os próximos jogos”, finalizou o meia. 

Crédito imagem destacada: Gilvan de Souza/ Flamengo