O jogo deste domingo marca o retorno do Flamengo ao Engenhão após quase dois anos. Neste período, aconteceu a briga contra o Botafogo pelo caso Willian Arão e a decisão alvinegra de não permitir que o rubro-negro jogasse mais no estádio da prefeitura do qual é inquilino, a não ser como visitante.

Apesar de uma curta história de menos de dez anos, o Engenhão já tem alguns momentos marcantes para o Flamengo, inclusive a conquista do último dos cinco Cariocas invictos dos seus 105 anos de futebol. No total, o Flamengo disputou 86 jogos no Engenhão, com 45 vitórias, 30 empates e apenas 11 derrotas – só uma delas para o Botafogo, justamente no último confronto, pela semifinal da Taça Guanabara de 2013.

O MRN relembra os dez melhores momentos do Flamengo no estádio, em ordem cronológica.

1- Estreia com goleada e show de Obina

Flamengo 4×0 América, 2/2/2008

O Engenhão foi inaugurado em 2007, mas o Flamengo só estreou no segundo maior estádio do Rio no ano seguinte, em uma partida válida pelo Campeonato Carioca de 2008. O primeiro gol rubro-negro no estádio foi marcado por Obina. O terceiro e o quarto também. Juan fez o segundo e completou a goleada. Curiosamente, foram os únicos gols de Obina no estádio.

2- Adriano demolidor e Bruno salvador rumo ao hexa

Botafogo 0x1 Flamengo, 25/10/2009

A campanha do hexacampeonato teve apenas dois jogos no Engenhão: um 2×1 contra o Vitória e esse duelo contra o Botafogo, no qual o Flamengo abriu o placar com Adriano passando pela dupla de zaga alvinegra como se fosse nada, e um segundo tempo no qual o Botafogo pressionou, pressionou e parou em Bruno, que defendeu um pênalti de Lúcio Flávio (inventado pelo juiz é verdade). O jogo teve ainda gols incríveis perdidos por Fierro e Gil, um no fim de cada tempo.

3- Estreia do ex-melhor do mundo

Flamengo 1×0 Nova Iguaçu, 2/2/2011

Quando o prêmio de melhor do mundo da FIFA foi criado, Zico já estava ensinando os japoneses a jogar futebol. O Flamengo teve, portanto, oficialmente dois jogadores eleitos como melhores do mundo pela entidade: Romário e Ronaldinho. A passagem do Gaúcho pelo Flamengo foi menos vitoriosa do que se poderia esperar e terminou de forma abrupta, mas isso não muda a atmosfera da noite em que o ex-melhor do mundo voltou a jogar no Brasil, dez anos após trocar o Grêmio pela Europa. Num jogo amarrado num Engenhão lotado, coube a Vanderlei, atacante que ficou marcado por esse gol e pela corrida desesperada na comemoração, transformar a festa em três pontos.

4- Carioca invicto contra o Vasco

Flamengo 0x0 Vasco (3×1 nos pênaltis)

O título invicto do Carioca veio após um 0x0 e uma disputa de pênaltis contra o Vasco. O goleiro Felipe, que já havia sido herói nas disputas da semifinal da Taça Guanabara, contra o Botafogo, e da semifinal da Taça Rio, contra o Fluminense, desta vez nem precisou fazer defesa. Três vascaínos chutaram para fora, e o Flamengo conquistou a Taça Rio e o 32º Carioca, de forma antecipada e invicta. Foi o primeiro Campeonato Carioca conquistado no Engenhão, já que o Maracanã havia sido fechado em meados do ano anterior para ser reformado para a Copa do Mundo.

5- Despedida de Pet

Flamengo 1×1 Corinthians (5/6/2011)

Dejan Petkovic se tornou o maior ídolo do Flamengo após o fim da geração de Zico e Júnior no Maracanã. Mas, com o estádio fechado, o último ato de sua história pelo Flamengo – e como jogador de futebol – teve que acontecer no Engenhão. A torcida rubro-negra fez uma linda festa para um momento triste. Até teve gol de falta na despedida para impedir a derrota para o Corinthians, mas quem marcou foi Renato Abreu.

6- Quebra de jejum angustiante

Flamengo 2×1 América-MG (24/9/2011)

Quem acompanhou o início do Campeonato Brasileiro, no qual o Flamengo quase completou o primeiro turno invicto até sofrer uma surpreendente goleada em casa para o Atlético-GO, não poderia esperar que no mesmo campeonato o time teria a maior sequência sem vitórias no Campeonato Brasileiro na história. Foram dez jogos sem conhecer o sabor dos três pontos, e parecia que a conta se estenderia aos 11 até que aos 43 do segundo tempo – minuto icônico da história rubro-negra -, Thiago Neves marcou o gol da virada contra o América-MG e quebrou o angustiante jejum, para alívio da torcida rubro-negra. Deivid tinha empatado depois que Kempes -morto no acidente da Chapecoense no ano passado – abriu o placar cobrando pênalti.

7- Virada épica contra o Flu

Flamengo 3×2 Fluminense (9/10/2011)

Também conhecido como “o jogo do Bottinelli”, no qual o Flamengo perdia por 2×1 até os 41 minutos do segundo tempo. Em três minutos o argentino virou o jogo, primeiro com um gol de falta, depois com um chute de fora da área. O jogo ainda ficou marcado por uma peculiar do então (e atual) técnico do Fluminense Abel Braga após a partida, de que seu time não iria “abaixar a calcinha” para o Flamengo

8 – Massacre no Cruzeiro

Flamengo 5×1 Cruzeiro (6/11/2011)

A maior goleada do Flamengo em 86 jogos no Engenhão não foi contra qualquer adversário, mas sim contra o Cruzeiro, companheiro no clube de incaíveis que naquele ano esteve perto de perder esse status. Na época, Montillo, hoje no Botafogo, jogava no Cruzeiro. E o atual cruzeirense Thiago Neves foi o grande destaque da partida, marcando três gols pelo Flamengo. Também foi o dia em que a torcida do Flamengo se iludiu com o volante Muralha, campeão da Copinha naquele ano que fez sua melhor atuação como profissional, nunca repetida, nesta partida, e da entrevista de Ronaldinho após o jogo que virou meme: “Estão deixando a gente sonhar”.

9- Show da torcida contra o Atlético de Ronaldinho

Flamengo 2×1 Atlético-MG, 26/9/2012

O Campeonato Brasileiro de 2012 – e toda aquela temporada, na verdade – não tem muitos momentos felizes para o torcedor rubro-negro se lembrar. Esse, talvez, tenha sido o melhor deles. A torcida foi com sangue nos olhos ao Engenhão para o primeiro confronto contra Ronaldinho depois que ele deixou o Flamengo pela porta dos fundos. O Atlético-MG tinha um time que brigava pelo título, enquanto o Flamengo se arrastava no campeonato. Mas o resultado dentro de campo não refletiu essa realidade: Vagner Love e Liedson marcaram os gols da vitória rubro-negra com gostinho de vingança.

9 – Rafinha humilha Dedé

Vasco 2×4 Flamengo (31/1/2013)

Foi uma ilusão que durou pouco, mas ficou marcada na memória rubro-negra. Campeão da Copinha em 2013, Rafinha teve um início de gala como profissional, comandando um show contra o Vasco que ficou marcado pelo golaço do saudoso Cleber Santana, após assistência de Rafinha, e pelo pique que o jovem formado na base rubro-negra deu no quarto gol, deixando o zagueiro Dedé na saudade. Seria o início de uma série de partidas em que o “mito” vascaíno, depois transferido para o Cruzeiro, ajudaria o Flamengo a conquistar grandes vitórias. Já Rafinha, após o brilho intenso daquele início, se apagou, e atualmente está emprestado para a Tailândia.

 
 
O que você pensa sobre isso?


Vire Apoiador do MRN: entenda melhor clicando nesse nesse link: bit.ly/ApoiadorMRN

Outras formas de ajudar este projeto:
– Nosso site faz parte do plano de afiliados do Nação, o programa de sócio-torcedor do Flamengo. Se você clicar em bit.ly/STdoMRN e aderir ao programa, ou até mesmo renovar seu atual plano, o Mundo Rubro Negro ganha 50% da sua primeira mensalidade.