Eduardo Paes assina liberação da construção da Arena da Gávea em reunião com a presença do presidente Eduardo Bandeira, seu vice Maurício Gomes de Mattos e o vice de patrimônio Alexandre Wrobel, na tarde desta segunda-feira na sede da Gávea. É o fim de uma novela que se arrastou por anos e realização do sonho de todo o departamento de esportes olímpicos do Flamengo.

A burocracia do poder público arrasta o projeto por anos a fio

Uma história de luta, cheia de idas e vindas. Depois de quase quatro anos de muita batalha com os órgãos responsáveis pelas licenças especiais finalmente a Arena McFla será construída.

Em fevereiro de 2013 o clube anunciou que desenvolvia a ideia de construir um ginásio tipo arena padrão NBA. Logo a ideia ganhou vida entre a torcida, animada com o novo grupo recém empossado no comando do clube. Inicialmente o projeto previa capacidade de 6 mil pessoas e seria a casa do basquete, futsal e vôlei. A maquete apresentada chamou a atenção. O vice-presidente Alexandre Wrobel declarou à FlaTV, à época: “O projeto que está muito adiantado é o de ocupação do antigo espaço do posto de gasolina. A nossa ideia é construir um ginásio dentro da Gávea, uma arena que serviria para vôlei, basquete e futsal com nível de NBA. Toda ela climatizada, com placares eletrônicos. Uma arena que não existe no Rio desse porte, nessa localização. É uma parceria com o Mc Donald’s. Estamos acabando de formatar não só a questão financeira, mas também o projeto efetivo da arena. Acho que vai ser um golaço. Vem sendo estudado há um bom tempo”.

Foi quando também a torcida soube que o projeto era todo viabilizado pela iniciativa privada, no caso a multinacional do fast food McDonald’s, que investiria cerca de 25 milhões no projeto. Apesar do nome que pegou – “Arena McFla” – a empresa não dará nome ao empreendimento, ela terá exclusividade apenas para a praça de alimentação em dias de eventos e abrirá uma loja para atender o público em horário comercial no restante do tempo.

Veja abaixo o vídeo release do projeto:


Batalha para a aprovação

A primeira luta depois que o projeto foi aprovado no Conselho Deliberativo do clube foi a aprovação no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). O espelho d’água da Lagoa é tombado pela instituição que viu no projeto vários pontos prejudiciais à paisagem e vistas da Lagoa Rodrigo de Freitas. Foi um momento de angústia e muita negociação de remodelagem do desenho da Arena que perdeu muitos lugares.

Finalmente aprovado em março de 2015, quase dois anos após a entrada no processo. À partir daí a briga era com órgãos da prefeitura da cidade. Entre idas e vindas na CET-Rio (empresa de controle de trafégo), corpo de bombeiros e secretaria de meio ambiente e uma nova aprovação final do IPHAN, o projeto estava desde agosto deste ano no gabinete do prefeito para aprovação executiva.

Anúncio Histórico

O vice-presidente de esportes olímpicos Alexandre Povoa fez um comunicado emocionado sobre a aprovação final, depois da reunião com o prefeito Eduardo Paes na Gávea.

“Nação Rubro-Negra, após 4 anos de enorme luta tenho, como uma das maiores alegrias da minha vida, o prazer de informar que a construção da Arena da Gávea – ginásio poliesportivo para nossos queridos Esportes Olímpicos – está oficialmente liberada pelas autoridades. Valeu cada minuto de sacrifício dessa luta. Agradeço de coração sobretudo aqueles que, com espírito rubro-negro, nunca desistiram desse sonho.”

Próximos passos

O clube agora pretende agilizar com os próximos processos, que pela primeira vez dependem só dele. O clube precisa cumprir exigências padrões para construções desse porte, como a desinfecção do solo, já que o terreno tinha servido a um posto de gasolina por anos, e depois será levado ao Conselho Deliberativo para aprovação do começo das obras depois da vista de toda a papelada e aprovação em outros conselhos e comissões responsáveis, se for o caso.

Conseguimos o contato com Alexandre Wrobel que esclareceu alguns pontos para o MRN:

– O prefeito esteve hoje na Gávea e fez a entrega formal da Licença de Obras. O Flamengo cumpriu ao longo desse tempo todo de processo todas as exigências que foram apresentadas. Agora nós vamos levar para a apreciação do Conselho Deliberativo o projeto, as bases contratuais com o McDonald´s para que o CoDe aprove referente o contrato. Em seguida ele será assinado e será dado início às obras. A gente imagina que todo esse processo de apreciação e aprovação estará finalizado em meados de janeiro e o prazo para o começo das obras de fato é de três meses a partir disso.

– As obras estão previstas para durarem cerca de 18 meses. Se tudo correr dentro do previsto, até o final desta gestão em 2018 a Arena de Esportes Olímpicos estará pronta, entregue à Nação. É um presente para o Flamengo, para a cidade e um presente para os esportes olímpicos. Acho que é uma grande vitória do investimento privado que investirá na ordem de 30 milhões.

O que você pensa sobre isso?


Vire Apoiador do MRN: entenda melhor clicando nesse nesse link: bit.ly/ApoiadorMRN

Outras formas de ajudar este projeto:
– Nosso site faz parte do plano de afiliados do Nação, o programa de sócio-torcedor do Flamengo. Se você clicar em bit.ly/STdoMRN e aderir ao programa, ou até mesmo renovar seu atual plano, o Mundo Rubro Negro ganha 50% da sua primeira mensalidade.