Diogo Almeida | @DidaZico

 

mrn infÉ um sentimento que toma conta de nossas ações. Ser Flamengo morando longe do Rio de Janeiro é um estado de espírito. Dificilmente não houve um posicionamento conceitual – mesmo que ancestral: passado de pai pra filho – baseado nas condições impostas pela força vital flamenga, raça, amor e paixão.

Munido desses sentimentos, um grupo de jovens vem fortalecendo a fé rubro-negra em Vitória da Conquista, cidade situada no sudoeste da Bahia. O município se destaca pelo crescimento acelerado de seu PIB e a importância estratégica em uma região com mais de 50 cidades desde o norte de Minas Gerais. Entre os cerca de 350 mil habitantes, boa parte torce pelo Mais Querido.

É dentro desse contexto que está nascendo uma nova Embaixada da Nação, a FlaConquista, e que belo nome, não?

Conversamos com o Rava Ogawa, que junto com a Jade Morais, estudante de nutrição de 19 anos, o Warlisson Santos, estudante de fisioterapia de 23

Jade Morais, Rava Ogawa, Ravier Carvalho e Warlisson Santos: A turma que organiza | Foto Rava Ogawa

Jade Morais, Rava Ogawa, Ravier Carvalho e Warlisson Santos: A turma que organiza | Foto Rava Ogawa

anos e o Ravier Carvalho, advogado, formam uma espécie de comissão de organização das atividades da Embaixada: “A ideia de juntar um grupo partiu do Warlisson, e a galera passou a se juntar desde o primeiro jogo contra o Náutico, pelas oitavas de final da Copa do Brasil” informou, “Partiu do Ravier a motivação pra gente estudar a possibilidade de virar uma Embaixada”, informou o estudante de 19 anos.


No site oficial do Fla, as embaixadas da Nação são descritas como movimentos espontâneos de torcedores. A vontade de ver o Mengão irmanado com outros rubro-negros, longe do Rio de Janeiro, tantas vezes em localidades milhares de quilômetros distantes da sede do clube é algo que só fazendo parte conseguimos explicar. Os torcedores do Flamengo que não moram na cidade-sede do Mais Querido naturalmente foram chamados de off-Rio, uma denominação que usamos na falta de outra melhor…

Organizar esses núcleos, que surgem despretensiosamente, é algo de suma importância em um momento complicado para a torcida rubro-negra, que vem sendo alvo de grupos radicais de torcedores dos times locais, movidos pelo bairrismo e pelo preconceito. A torcida flamenguista, espalhada por todas as partes do Brasil, vem, sistematicamente, sendo tratada com bastante agressividade. As Embaixadas da Nação são uma força vigorosa de aglutinação ordeira, feliz e condizente com os verdadeiros ideais do Flamengo, e, o melhor, de forma segura.

“Estamos crescendo, todo jogo vamos pro Bar Goró, nosso reduto. Sabemos das exigências para oficializar uma Embaixada e aos poucos queremos preencher os requisitos”, disse orgulhoso.

Turma da FlaConquista no Bar Goró

O Flamengo concede uma caráter institucional às Embaixadas. É um braço que se estende da Gávea, ramificando-se e cruzando fronteiras internacionais. Um diploma entregue cerimoniosamente lembra os deveres cívicos da Embaixada perante a Nação, que são elas:

 Realizar encontros com frequência em locais fixos e pré-determinados, escolhidos pelos participantes;

–  Dispor de coordenadores com atribuições de marcar as datas e tomar as providências para a realização das reuniões;

–  Disponibilizar endereço para correspondência;

–  Ter mais de um ano de existência.

 

Fonte: Site Oficial

 

Se você é de Vitória da Conquista ou está pela cidade, junte-se à FlaConquista! Entre em contato.

Rava Ogawa: 77 9133-6786

Ravier Carvalho: 77 9165-4376