20151208003608_60Pedro Iootty foi Vice-Presidente da Secretaria durante o primeiro mandato do Presidente reeleito Eduardo Bandeira de Mello. Assim que a votação teve seus números declarados e a Chapa Azul derrotou as demais Chapas concorrentes no pleito do último dia 07, ele já discursou como novo presidente da Assembleia Geral do clube, prometendo ser mais um “soldado” a serviço do Flamengo.

E parece que Iootty, engenheiro econômico do BNDES, já atentou para um problema que, na prática, parece simples de resolver mas que triênio após triênio insiste em se perpetuar: as eleições presidenciais do clube em dias úteis, tradicionalmente na segunda-feira, como a última. Entre alguns sócios é nítida a sensação de que a programação é feita para diminuir o colégio eleitoral, apesar da explicação dada pelo ex-Presidente, Gil Bernardo: “O Flamengo tradicionalmente faz sua eleição numa segunda-feira para que seja justamente em um dia útil. A ideia é evitar que seja em fins de semana, quando as pessoas muitas vezes têm questões familiares e pessoais para resolver”, disse em entrevista ao Site Oficial, no último dia 05.

— Muita gente tem seu acesso dificultado. Alguns saem cedo de casa, trabalham e moram não tão perto do clube e acabam por desistir de ir votar. — Disse Iootty ao MRN.

Outro problema chama atenção. A falta de respeito com sócios que moram longe do Rio de Janeiro. Alguns rubro-negros querem exercer sua cidadania flamenga mesmo estando a milhares de quilômetros de nossa querida sede social localizada na Gávea. Contudo podem se programar para estarem no clube se a eleição ocorrer no final de semana. Votar, para alguns que adquirem o título de sócio do CRF é o maior desejo de alguém que gasta seu dinheiro para se sentir “mais parte” da sua paixão. É realmente uma falta de respeito com a Nação off-Rio uma eleição em plena segunda-feira, dia de trabalho e outros compromissos inadiáveis.

— Vamos tentar fazer com que as próximas eleições ocorram no final de semana. — Finalizou.


 

O que é a Assembleia Geral?

A Assembleia Geral e o conjunto de todos os Conselhos e o fórum, a grosso modo, de todos os sócios aptos a exercerem direito de voto. O presidente da Assembleia se torna a figura mais poderosa do clube ao menos um dia do triênio, quando se torna o “presidente do clube”.

 

Confira alguns trechos do discurso de posse de Pedro Iootty

Recebo com muito orgulho, responsabilidade e alegria o mandato para presidir a Assembleia Geral do Flamengo no próximo triênio. Venho suceder grandes rubro-negros que, no passado, receberem esta mesma distinção. Assim como eles, empenharei toda minha disposição para respeitar e cumprir os deveres de lealdade, probidade e moralidade, previstos no nosso Estatuto Social.

 

Hoje, ao lado de senhores que dedicaram uma vida às nossas cores, se juntam jovens associados, que igualmente nada querem tirar delas. Jovens que se associaram para aprender com aqueles que fizeram do Flamengo a paixão extraordinária que constituiu uma Nação. Jovens que querem continuar este trabalho, entregando um Flamengo ainda maior às futuras gerações.

 

Gerações diferentes, que democraticamente unidas, apóiam um regime de responsabilidade orçamentária que permitiu ao Flamengo se tornar um clube cidadão e cumpridor de suas obrigações. Gerações que testemunham o prestígio do Flamengo como vanguarda no esporte brasileiro, modelo de transparência, profissionalismo, equilíbrio financeiro e gestão.

 

No momento em que o país atravessa uma grave crise ética, o Flamengo é um exemplo, talvez único, de credibilidade nacional. Como tal, devemos assumir a responsabilidade de inspirar e atender às expectativas da nossa torcida, não só do ponto de vista da prática ética, mas também da densidade e eficácia das nossas ações.

 

Realizar o nosso destino só depende de cada um de nós, porque, unidos, não somos apenas fortes, mas imbatíveis. A todos os associados rubro-negros peço esperança, confiança, participação e muito trabalho, com persistência e ânimo.

 


Da Redação