242 novos conselheiros agora fazem parte do Conselho Deliberativo do Flamengo

Por André Amaral - Ninho da Nação

 Instigado pela oposição, aproveitando-se de um momento ruim do clube dentro de campo, o presidente do Conselho Deliberativo Delair Dumbrosck resolveu no ano passado eliminar da vida política do Flamengo parte dos conselheiros do corpo transitório, que são obrigados a comparecerem nas reuniões e, após três faltas consecutivos ou cinco alternadas, sem justificativa, ficam automaticamente inelegíveis.

Em um universo formado por mais de dois mil conselheiros, eliminar 115 que por diversos motivos faltaram às reuniões, foi uma atitude completamente desnecessária e discricionária do presidente do Code.

Entretanto, a atual diretoria mostrou-se forte politicamente e no dia 09 de dezembro, por 746 votos contra 426, ou 64% dos votos válidos, pôde continuar tendo as cadeiras entre os conselheiros transitórios.

E preparou uma bomba democrática.

O artigo 86 do Estatuto Rubro Negro é bem claro, diz lá que “o sócio proprietário que desejar integrar o Corpo Permanente do Conselho Deliberativo deverá manifestar, por escrito, esse propósito, nos três últimos meses do ano em que houver eleição para este Conselho.


Foi o que fizeram 242 conselheiros com mais de dois anos de vida associativa e de diversas matizes ideológicas: pleitearam a entrada como conselheiros permanentes.

A princípio Delair foi contra. Depois solicitou parecer jurídico, este inconclusivo. Foi convocada então o Congresso Rubro Negro para decidir essa questão e por 146 x 93 votos, o Flamengo agora tem mais 242 conselheiros para pertencer ao universo deliberativo e participar da vida política da Gávea.

Vence o Flamengo, vence a democracia!