auditório procuradoria geral do rj seminário profut


Mariana Sá | Twitter @imastargirl

logo-mrn-informaçãoNa tarde desta quinta-feira (13), Eduardo Bandeira de Mello esteve presente na palestra “Profut: Um novo tempo para o futebol brasileiro?”. Além de destacar seu trabalho no Flamengo, o presidente recebeu elogios dos outros convidados e é citado como exemplo de gestão.

O evento, que aconteceu no Centro do Rio de Janeiro, reuniu, além de EBM, Fernando Barbalho Martins, procurador do Estado e autor do livro lançado após a palestra “Futebol: Manual de (Re) montagem”, Martinho Neves Miranda, também procurador do RJ e escritor, e Pedro Trengrouse, professor de direito esportivo na FGV. Os quatro convidados puderam expor suas opiniões sobre a Lei de Responsabilidade Fiscal, a MP 671, o futebol no Brasil e como podemos mudar a situação atual.

Bandeira começou contando a situação catastrófica que o Flamengo estava quando sua chapa assumiu em 2013. Além das enormes dívidas, o conflito ético e moral deixava o clube com uma credibilidade muito baixa. O presidente falou ainda que, poucas horas antes de tomar posse, buscou todos os valores das dívidas e assim decidiu que era a hora certa de abrir mão de algumas coisas para salvar o Mais Querido.

EBM também comentou a luta do clube para mudar a política internamente e para fazer a Lei de Responsabilidade Fiscal e a MP 671 serem aprovadas. Bandeira disse que o texto da medida não foi aprovado exatamente como ele queria, já que houveram diversas mudanças no documento original. O presidente lamentou algumas alterações, como o artigo que mudava a relação entre clubes e federações, e comemorou que, depois de tanto tempo, a lei finalmente será posta em prática.

Graças ao anúncio dos novos vice-presidentes do Flamengo que aconteceu na Gávea, Eduardo Bandeira de Mello teve que sair mais cedo, mas antes foi extremamente elogiado por Pedro Trengrouse. O professor da FGV destacou o empenho e comprometimento do presidente com a melhora do futebol. Trengrouse disse que o maior problema do esporte brasileiro está na forma como ele é administrado e não na falta de dinheiro. Para ele, muito ainda precisa ser feito para que a real mudança comece a acontecer.

Martinho Neves Miranda explicou todos os pontos do Profut e mostrou em detalhes os aspectos positivos e negativos. Para ele, mesmo com muitos

Foto Mariana Sá/MRN

Foto Mariana Sá/MRN

pontos falhos e conflitantes, o documento é um avanço para o esporte e a esperança é que haja uma melhora no cenário atual. A principal crítica foi em cima de certas regras da emenda e com o fato das federações controlarem quem cumpre ou não as exigências.

Fernando Barbalho Martins, o grande homenageado da noite, falou sobre as ideias que estão presentes em seu livro, Futebol – manual de (re)montagem, cujo tema central é a reestruturação do futebol brasileiro. Na obra, ele fala sobre missões, propostas e estratégias para o Brasil chegar à tão sonhada inserção do nosso esporte no cenário global.

Bandeira de Mello foi citado diversas vezes por ter transformado o Flamengo em exemplo de gestão no Brasil. Sempre muito elogiado, o presidente mostra que o clube está efetivamente engajado com as mudanças e é visível que seu trabalho é admirado por quem entende do assunto.

 

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

SIGA A GENTE NO TWITTER