Pela terceira rodada da Taça Guanabara, o Flamengo perde para o Volta Redonda no Raulino de Oliveira e complica sua situação na tabela de classificação da segunda fase do Campeonato Carioca.

 

W2G54AGa

PAULO VICTOR: Segue sem sair do time, mesmo quando os titulares são poupados. Mais uma vez não teve culpa no gol do adversário e fez defesas importantes, porém segue perdido na saída com os pés, tão treinada pelo técnico Muricy Ramalho. Como veterano no clube, já passou da hora de exercer alguma liderança e tentar algo em relação a postura dos jogadores nas partidas. NOTA 5,5

RODINEI: Uma das piores partidas do camisa 2 do Flamengo. Durante o primeiro tempo ficou bastante limitado ofensivamente, talvez pela má atuação de Arão e Cirino, que são parceiros fortes no apoio por aquele lado, e no segundo, quando conseguiu chegar mais na frente, deixou espaços perigosos na defesa, colocando os zagueiros em situação complicada muitas vezes e, inclusive, no lance de gol do Volta Redonda. NOTA 4,5

WALLACE: É o responsável pelo início das vaias ao time. Nos momentos de mais apatia (que são longos) é quem recebe muitas bolas tocadas para trás. Sofreu muito com as investidas em velocidade do adversário pelo seu lado da defesa e, mais uma vez, teve que fazer subidas ao meio campo para cobrir a ausência de volantes e laterais naquele setor do campo. No lance do gol, não acompanhou o atacante e ainda cobrou impedimento que não aconteceu da arbitragem. NOTA 5

CÉSAR MARTINS: Fez uma partida mediana. Sem grandes dificuldades defensivas devido a pouca presença ofensiva de Rodinei no ataque, o camisa 3 teve vida razoavelmente fácil no primeiro tempo, mas sofreu muito na segunda etapa, quando o Flamengo passou a tentar mais jogadas pela direita do setor ofensivo. Em alguns lances demonstrou clara falta de ritmo e precisou de cobertura. NOTA 5


CHIQUINHO: Nos fez lembrar o quanto Jorge, por pior que venha jogando, tem que ser titular nesse time. Além do mais, é possível ver que ele não tem condições nem de ser reserva do camisa 6 do Fla. Mesmo com cobertura, não conseguiu ser efetivo no ataque e só acertou um cruzamento, que desviou no defensor do Volta Redonda e Vizeu não conseguiu concluir como queria. NOTA 4

MÁRCIO ARAÚJO: Hoje nem seu vigor físico e vontade característicos sobressaíram. Marcado por uma declaração no mínimo infeliz na última partida contra o Atlético Paranaense, o volante fez uma partida abaixo do que ele mesmo já apresentou, tornando aquele setor um problema no início das jogadas ofensivas e digna de desconfiança nos lances de ataque do adversário. NOTA 4,5

ARÃO: Começou visivelmente desligado e cometendo muitos erros. Cometeu falhas em lances bobos e errou passes que não tem costumado errar. No segundo tempo, com o time investindo mais nas jogadas pela direita, o camisa 5 apareceu mais de forma positiva ofensivamente, mas deixou espaços na defesa que o Volta Redonda soube aproveitar em lances de contra ataques. Suas últimas atuações, mostram que precisa rever seu posicionamento e suas subidas , muitas vezes irresponsáveis, ao ataque. NOTA 5,5

GABRIEL: Desde o começo acima do ritmo de quase todo time, buscou jogadas pela esquerda e fez a equipe até render por um lado do campo ao qual não estávamos acostumados a ver em 2016. Fez tabelas interessantes com Ederson, tentou jogadas individuais e até finalizou de forma perigosa ao gol do time da casa. Ainda durante o primeiro tempo, sumiu do jogo após Muricy invertê-lo com Cirino e este passar a ficar isolado pela direita. No segundo tempo, seu isolamento foi pelo lado ao qual começara a partida e, mesmo com boa movimentação, saiu para Alan Patrick. NOTA 6

 

K1600_ederson volta redonda

Mais uma vez Ederson foi destaque positivo no Flamengo. Foto: Gilvan de Souza | Flamengo

EDERSON: Melhor jogador do time em campo. Veio buscar a jogada no meio, tentou jogadas individuais, fez tabelas com jogadores mais próximos, finalizou. Vem mostrando a cada dia que tem qualidade pra ser o camisa 10 do Flamengo. Hoje, pela primeira vez em 2016, jogou a partida inteira e talvez por isso tenha sentido o peso e cansaço no terço final do jogo, mas assim mesmo fez jogadas que poderiam resultar em gol. Em forma será muito importante para as pretensões do Flamengo em 2016. NOTA 7

CIRINO: Após um começo de partida nulo, mudou de lado com Gabriel e apareceu no jogo. A cada partida ruim do Flamengo, o camisa 7 dá sinais claros que não tem qualidade suficiente para vencer marcações mais próximas ou até mesmo individuais. Sua velocidade é eficiente quando os adversários deixam espaços mas, contra times que jogam fechados, o atacante sempre tem dificuldades. NOTA 4,5

VIZEU: Garoto segue tentando mostrar suas qualidades, mas igualmente ao titular da posição sofre com a escassez de passes em profundidade e insistência na bola aérea. Mesmo se apresentando, pouco recebeu bolas para fazer uma recepção de costas para o gol (pivô) e as bolas que chegaram para movimentação vertical foram de qualidade ruim a péssima. Contudo, segue dando claras mostras que pode sim ser um grande atacante no futuro. NOTA 5

ALAN PATRICK: Entrou por uma mexida errada de Muricy e mesmo assim não fez valer. Errou tentativas de passes em profundidade, não articulou jogadas de contra ataque, não cadenciou o jogo e nem ajudou na marcação. Quando teve chance na bola parada, cobrou na barreira. Está longe de ser o Alan Patrick que fez partidas de excelência em 2015 pelo Flamengo. SEM NOTA