Voltando a jogar em São Paulo, o Flamengo enfrentou o Santa Cruz pela vigésima nona rodada do Brasileirão e venceu com autoridade. Sempre controlando o jogo, o Mengão não encontrou dificuldades e construiu o resultado ao longo da partida com dinâmica e certa tranquilidade. Veja a seguir as notas das atuações dos jogadores.

Paulo Victor – Após uma semana bem conturbada pelo seu retorno ao time, o camisa 48 entrou muito bem e logo no início do jogo, fez uma defesa sensacional tirando a bola dos pés de Keno. Orientou bastante o setor a sua frente e não se escondeu nas bolas paradas. NOTA 7,5

Pará – Titular absoluto, o camisa 21 tem atuações dignas de prêmio ao fim da competição. Em vários momentos parecia ser mais de um em campo, dada sua ativa participação em jogadas no ataque e a constante presença. NOTA 7,5

Réver – Se hoje temos a melhor defesa do campeonato, muito disso se deve a esse grande zagueiro. Um gigante em campo, o capitão do Mengão cortou várias bolas por cima, participou de jogadas aéreas no ataque e quase deixou o seu em lance que Arão tocou antes dele no segundo gol. Além do sistema melhor encaixado, o camisa 15 colocou confiança e qualidade na zaga. NOTA 7,5

Rafael Vaz – De bem com a vida, o camisa 33 jogou com a mesma qualidade e segurança que apresenta quando Jorge está ao seu lado pela esquerda. Um detalhe importante, o zagueiro evitou lançamentos e buscou sair com passes mais precisos e curtos, mas não hesitou em dar chutões nos momentos de mais dificuldade. Ao lado de Réver, forma a melhor dupla de zaga do time e da competição no momento. NOTA 7


Chiquinho – Analisando sua qualidade técnica e noção tática da posição, sua partida foi ruim, mas não tanto quanto já foi. Talvez pela qualidade do adversário, o camisa 30 fez um jogo razoável e não comprometeu o time defensivamente. Além disso, foi ousado em alguns lances de ataque e quase marcou um bonito gol em jogada individual. Para jogos desse porte, pode ser utilizado. NOTA 6,5

Márcio Araújo – A melhor partida do volante pelo Flamengo em muito tempo. Mesmo começando fazendo apenas o que lhe cabe como função tática no time, com o desenrolar do jogo o camisa 8 foi se soltando e participou de jogadas interessantes no ataque. Conhecido pela simplicidade no passe, o volante fez lançamentos, viradas de bola e acertou uma linda bola que Chiquinho quase marca um belo gol. Incansável, apoiou o time com firmeza e seriedade o jogo inteiro. NOTA 7,5

Arão – Em alguns momentos parecia estar pesado em campo, mas visivelmente buscava controlar o ritmo do time em campo. Quando ele acelera, o time inteiro acompanha e aumenta a pressão sobre o adversário. Sempre caindo pela direita, o camisa 5 foi peça fundamental no esquema trabalhando com Pará, Diego e Alan Patrick. Em sobra de bola na área, deixou o seu gol e coroou sua ótima partida. NOTA 8,5

Diego – Segue em altíssimo nível. Buscando sempre a bola para criar jogadas a frente, o camisa 35 foi a cereja do bolo que faltava no esquema do técnico Zé Ricardo. Sua dinâmica de jogo é perfeita para um time que joga com pontas e aposta na velocidade. Além de quase deixar o seu gol de cabeça, fez passes precisos sempre com muita inteligência, Diego é dono da vaga no time e ainda está em claro crescimento físico. NOTA 7

Alan Patrick – Parece render mais quando entra no time durante o jogo. A visível quebra na dinâmica de jogo do time com ele em campo sempre causa problemas para a marcação, mas com ele desde o início, os marcadores se encaixam e anulam a maioria das jogadas do meia. Nesse jogo, ele vinha razoavelmente bem quando saiu. Tem qualidade, mas precisa se impor mais para não virar presa fácil para os zagueiros. NOTA 6,5

Everton – Que partida do camisa 22. Deu assistência para o primeiro gol, marcou forte, cobrindo o corredor com Chiquinho pela esquerda e finalizou com certo perigo. No segundo tempo, criou uma chance sensacional num cruzamento de letra que Emerson não conseguiu cabecear da forma certa. NOTA 7

Vizeu – Partida de excelência do jovem atacante do Fla. Com os mais experientes desfalcando o time, coube ele jogar a frente do time no ataque e fez bonito. Logo no início do jogo, o camisa 47 arrematou para o gol, o ótimo cruzamento de Everton. Durante o resto jogo, se apresentou entre os zagueiros, fez pivô com qualidade e saiu aplaudido pela torcida. Valeu a pena a dispensa da seleção sub-20 no momento. NOTA 8

Fernandinho – Entrou no lugar de Alan Patrick para dar mais velocidade ao time e surtiu efeito. Tornando mais difícil a vida da já cansada defesa do Santa Cruz, o camisa 31 infernizou pela esquerda com ótimas jogadas em velocidade. Ainda ajudou de forma consistente no setor defensivo junto a Chiquinho. NOTA 7

Emerson – Em poucos minutos em campo, lembrou o Sheik de outros tempos. Jogando mais centralizado, no lugar de Vizeu, o experiente atacante, esbanjou qualidade técnica com domínios certeiros e um passe açucarado para o terceiro gol do Flamengo. NOTA 7

Cirino – Entrou iluminado. Fez o gol no finalzinho e nada mais. Seria injusto não pontuar após um momento tão importante para ele e também para o time. NOTA 8


O que achou das notas desse jogo? Deixe sua opinião nos comentários ou em nossas redes sociais.

 

SRN,

RAONY FURTADO