Flamengo melhora desempenho em campo, evolui taticamente, mas peca no individual. Samir, de volta ao time depois de 3 meses, falha no gol cruzeirense


QUEBRA_PAG

Paulo Victor: 6 – Salvou o Flamengo em 3 oportunidades no primeiro tempo. Nada pôde fazer na cabeçada à queima-roupa de Manoel.

Pará: 5,5 – Voluntarioso, raçudo. Se entrega da forma que dá em campo. Os ataques perigosos do Flamengo eram sempre pela direita, mas já com Luiz Antônio jogando como lateral. Pará precisa apoiar mais.

Wallace: 5,5 – Foi bem no combate pelo chão. Travou batalha no começo do jogo com Damião. No jogo desta quarta, atuou como zagueiro-armador. Era dele que saíam os passes para os atacantes, já que o meio era nulo.

Samir: 4,5 – No primeiro tempo, em lance aparentemente sob controle, escorregou na frente da área e quase entregou um gol ao time do Cruzeiro. No segundo tempo, em escanteio na área do Flamengo, deixou seu alvo Manoel subir sozinho e marcar o gol da vitória do Cruzeiro.

Pico: 1 – Saiu do jogo justamente na virada de campo. Errou absolutamente tudo que tentou.

Jonas: 7 – Pode ter errado alguns passes bobos, mas na marcação foi quase perfeito. Desarmou, roubou e deu botes precisos.

Márcio Araújo: 6,5 – Não tem a qualidade do passe que Canteros tem, mas tem a penetração mais aguda, tem a corrida. E fez isso durante o jogo. Tentou conduzir a bola do meio pra frente, e foi razoavelmente bem.

Everton: 5 – Foi escalado pra armar o time, que não é sua função. Até tentou, mas não sabe se posicionar. Não adianta, ele gosta de jogar aberto pelos flancos do campo. Com isso, o buraco entre defesa e ataque, ficou imenso.

Paulinho: 3 – Mais uma partida terrível de Paulinho. Dribles mal-sucedidos, passes equivocados, péssima movimentação. Tá longe de ser o Paulinho de 2013.

Cirino: 6 – Fez boas jogadas pelo lado direito do ataque do Flamengo, e deu certo trabalho pra defesa do Cruzeiro. Mas na disputa que teve com Pará (jovem lateral esquerdo do Cruzeiro), saiu perdedor. Voltando de lesão, cansou no segundo tempo e pediu pra sair.

Alecsandro: 1 – Uma lástima. Que partida horrorosa do (ainda) camisa 9 do Flamengo. Lento, sem mobilidade, péssimo no papel de pivô, e como sempre um cone. Não é possível que Cristóvão tenha visto algo diferente disso. Tem que ir pro banco no sábado.

Luiz Antônio: 6 – Improvisado na lateral direita, Luiz Antônio fez boa partida no Mineirão. Foi com ele pelo lado direito, no segundo tempo, que as melhores chances do Flamengo apareceram.

Gabriel: 6 – Também entrou bem. Diferente das últimas partidas, entrou mais ligado, e partiu pra cima da defesa celeste. Bons dribles que proporcionaram faltas perigosas na lateral do campo.

Eduardo Da Silva: sem nota. – Mais uma vez entrou somente aos 40 do segundo tempo. Dessa vez nada pôde fazer, o chuveirinho não deu certo.


Cristóvão Borges: 6 – Ousou. Escalou o time pra frente em pleno Mineirão contra o bicampeão Cruzeiro. No intervalo, percebeu a péssima partida de Pico no primeiro tempo, e mandou Pará à esquerda, pra colocar Luiz Antônio na direita. Com 1×0 contra, resolveu colocar mais um centroavante, mas errou ao tirar Márcio Araújo, que preenchia o meio campo e ajudava na condução de bola da equipe. Talvez a melhor opção seria a saída de Pará, e o recuo de Everton pra lateral esquerda. Continuaríamos com meio campo, e ganharíamos em presença ofensiva. Taticamente, já vimos uma melhora significativa. Estávamos melhor no jogo quando tomamos gol de bola parada.

Seja um #ApoiadorMRN! Ajude contribuindo com R$ 5, R$ 10 ou R$ 20 mensais e participe do nosso grupo exclusivo de WhatsApp e muito mais. Esta é a forma que nós temos de manter e planejar o nosso projeto como um todo. Se você possui um negócio ou serviço que precisa ser divulgado, temos planos de apoio a partir de R$ 50 mensais com publicidade no nosso site e redes sociais. Clique aqui e vire um #ApoiadorMRN: bit.ly/ApoiadorMRN
Participe da campanha especial de arrecadação para viabilizar a produção e edição de conteúdo no canal do MRN no YouTube. Doe qualquer quantia de forma rápida e segura!