Apesar de não ter desistido da participação em uma possível nova licitação do Maracanã, o Flamengo está próximo de definir o local ideal para o seu estádio. Nos últimos meses, um grupo de estudos, criado pelo clube, analisou os mais diversos terrenos para encontrar o melhor local para a nova casa. Dentre estes, apenas 2 ainda estão sendo analisados, ambos no Rio, e a expectativa é que até o início do próximo mês haja uma posição concreta em relação a um dos locais.

O Flamengo está realizando constantes reuniões para viabilizar o projeto. Apesar de alguns locais serem especulados, a localização exata do terreno considerado favorito é tratada com sigilo. Ele possui cerca de 160 mil m², tamanho considerado mais que suficiente para a construção do estádio projetado pelo clube, com capacidade para 52 mil pessoas e estacionamento horizontal.

Há alguns meses, o vice-presidente de patrimônio do Flamengo, Alexandre Wrobel, em entrevista ao MRN, comentou sobre o ‘terreno favorito’.

– Alguns terrenos foram oferecidos, alguns não nos interessaram até que no final do ano passado surgiu um terreno que pela localização, pela metragem é extremamente interessante. – afirmou à época.

Para chegar até esta etapa, vários profissionais da área foram consultados, incluindo arquitetos e administradores de arenas. Nos últimos dias, o grupo de estudos do clube esteve na sede da MRV, para conhecer o projeto do estádio do Atlético Mineiro, para 50 mil pessoas. No Flamengo, é consenso que o estádio precisa ter a “cara do clube” e não pode ser deficitário.

No início deste ano, o presidente Eduardo Bandeira de Mello se reuniu com o prefeito de Niterói para discutir a possibilidade de construção de um estádio no Caminho Niemeyer, próximo às barcas e à Ponte Rio-Niterói. Mas o local está praticamente descartado. O terreno é considerado complicado e a viabilidade de instalação é complexa. A mesma coisa acontece com o terreno em Guaratiba, já descartado.

Terreno em Niterói, praticamente descartado.

Estádio Acústico na Gávea só será construído se o Fla administrar o Maracanã

No início deste ano, o prefeito Marcelo Crivella assinou um Protocolo de Intenção para construção do Estádio Acústico da Gávea, com capacidade para cerca de 25 mil torcedores. Mas o Flamengo dificilmente construirá dois estádios ao mesmo tempo.

O projeto na Gávea só deve acontecer se o clube conseguir administrar o Maracanã, já que não precisará investir tanto. Se o Flamengo optar pela construção de um estádio para 52 mil pessoas, a expansão do José Padilha ficará para o futuro ou não acontecerá.

Maracanã

A novela que envolve o Maracanã e a indefinição sobre uma nova licitação e a participação dos clubes fazem o rubro-negro estudar outras possibilidades. O clube tem pressa e não quer depender do estádio nos atuais moldes, mais uma vez. Se o imbróglio não for resolvido ou demorar, o Flamengo partirá, de forma definitiva, para a construção do seu estádio.

A Ilha do Urubu acolhe bem o torcedor rubro-negro, mas não pode ser utilizada em determinados jogos – como nas fases finais de Sul-Americana, Copa do Brasil e Libertadores – devido sua baixa capacidade. Por isso, o Flamengo, mesmo que contra a sua vontade, não consegue ‘dar as costas’ de forma definitiva ao atual e caro Maracanã – inclusive, fechou um pacote de 4 jogos até o fim de 2017.

 


O Mundo Rubro Negro precisa do seu apoio. Contribua mensalmente com nosso trabalho. Clique aqui: bit.ly/ApoiadorMRN