blog pedrada banner

E o Flamengo finalmente conseguiu sua contratação “top” de 2016. Diego Ribas, um jogador de prestígio no futebol brasileiro, contratado diretamente da Europa. De poucas críticas quanto às qualidades futebolísticas e a importância relativa que dará ao elenco e a Instituição Flamengo.

O Flamengo assim reforça as luzes da preocupação de diversos segmentos da imprensa esportiva brasileira, acostumadas a lidar com a imagem do clube do jeito que se apresentava até 2012. Com a recuperação econômica, administrativa e jurídica iniciada com a eleição dos elementos que idealizaram um princípio de governança em que foram apoiados por determinados grupos de associados e mesmo parte da torcida, o Flamengo iniciou este processo, às duras penas, sofrendo críticas diversas, incompreensões de todo tipo, que acabaram por causar dissenções e separações não só entre os grupos que o começaram, como em segmentos da oposição a isto, que não captaram o desejo de mudança e o novo espírito do tempo.

O fato é que, hoje, em 2016, o Flamengo partiu pro mercado contratando atletas de qualidade, reforçando o elenco como poucos, culminando com a contratação do Diego Ribas. E partiu pro mercado com a responsabilidade de manter as contas em dia, de zelar pelo patrimônio ético adquirido nestes anos, sendo um raro exemplo de sustentabilidade econômica entre os times brasileiros conforme ilustra o ótimo post de Emerson Gonçalves, no blog “Olhar Crônico Esportivo” intitulado “Flamengo a caminho de um ano histórico fora de campo”.

O Flamengo administrativamente está no caminho certo. Hoje pode-se dizer que isto é motivo de orgulho sim para seus torcedores que sofreram por anos seu clube ser chamado de falido, que não pagava ninguém. Mas, evidente que para o Flamengo, sendo uma instituição esportiva, seu sucesso é determinado pelos resultados esportivos que alcança. E estes, no futebol, ainda não são bons. São ruins. Mas será que 2016, apesar de seu começo fatídico com troca de treinador experiente por um inexperiente, eliminações precoces para times de segunda e terceira linha, pode se transformar em algo realmente positivo?

Será que com este elenco reforçado, melhor estrutura que já tivemos para treinar e se recuperar, apoio da Diretoria, da torcida, etc, não conseguiremos nosso tão almejado título brasileiro? Nossa vaga na Libertadores?

Podemos. O Flamengo está mais forte. Contratações de Diego Ribas, Leandro Damião, Mancuello, Arão, Cuellar, Rever, Juan, Rodinei, etc são de peso. São bons a ótimos reforços para um campeonato brasileiro. E ainda temos um atacante ímpar como Guerrero, destaque internacional.

Nós podemos!

Agora, se a comissão técnica atual está à altura do que está sendo apresentada para ela, isto tenho sérias dúvidas.